Nelson Santos já não é Axinene

0
80

Nampula (IKWELI) – O Ferroviário de Nampula derrotou no passado sábado (3) a equipa da Liga Desportiva de Maputo por 0-3, no arranque da última jornada do campeonato nacional da primeira divisão, o Moçambola deste ano.

Os golos dos chamados axinenes de Nampula foram apontados pelos experientes Mário Sinamunda e Isac de Carvalho, numa partida disputada na casa da Liga Desportiva de Maputo, de Dário Monteiro.

Na mesma tarde em que os atletas empreendiam o seu esforço que culminou na conquista dos três pontos, a Liga Moçambicana de Futebol decidiu, também, atribuir derrota a Associação Black Bulls por uso irregular de jogadores estrangeiros na partida da 20ª jornada que disputou com os locomotivas de Nampula. Assim, numa única tarde o Ferroviário de Nampula somou seis pontos, garantindo de maneira definitiva o terceiro lugar da presente edição do Moçambola, com 38 pontos, com um total de 11 vitórias, 5 empates, 6 derrotas, 24 golos marcados e 21 sofridos.

Trata-se da melhor prestação do Ferroviário de Nampula nas últimas sete épocas futebolísticas, dado que só em 2014 foi a última vez que a equipa esteve nos lugares de pódio, um inesquecível segundo lugar.

A vitória do último sábado representa uma despedida de ouro do técnico português no comando do Ferroviário de Nampula, Nelson Santos, bem como os demais jogadores que compunham o plantel deste ano, porque a direcção locomotiva não renovou contrato com o treinador, apesar de ter sido uma época bem conseguida, na visão de alguns desportistas.

Nossas fontes anónimas, fortemente ligadas ao clube dos Axinenes de Nampula, revelaram-nos que, apesar dos resultados positivos conseguidos no elenco de Santos, sobretudo nos jogos caseiros, o treinador não mantinha boas relações com alguns membros de direcção do clube.

Segundo nossas fontes, parte dos dirigentes do clube locomotiva se sentia desrespeitado pelo mister Nelson Santos, com a sua forma de falar perante aos “makholos” (superiores) do Ferroviário.

“Muitos da direcção choram por causa do mister. Ele quando fala, quando toma as suas decisões, não tem medo de ninguém. Então, isso é que levou ao mister a não renovar”, confidenciou-nos a nossa fonte, para quem “até aqueles problemas levantados sobre ilegalidade laboral dele aqui em Moçambique, foram alguns dirigentes descontentes que estiveram em frente do processo. Ali tem pessoas com quem o mister se meteu, mas que não devia se meter, são os mesmos que agitaram isso tudo”, acrescentou.

Não há dúvidas que o mister Santos já estava tendo o maior pelo clube e pela cidade de Nampula, por isso, em conformidade com a nossa fonte, o treinador chegou de implorar a direcção para que renovasse o seu contrato e na sequência, estaria disposto a reduzir até algumas regalias dentro da agremiação, o que foi multiplicado a zero.

A insatisfação do mister Nelson Santos foi visível no penúltimo dia de treinos para o embate com a Liga, ao não aceitar conceder entrevista aos órgãos de comunicação sediados na cidade de Nampula, o que não era comum nos dias anteriores. “Eu não vou falar mais, podem falar com o Payo”, disse o mister Santos, o qual depois de alguns abraços de despedida com alguns jornalistas em Nampula frisou que “vou, mas volto a jogar neste campo”, um sinal inequívoco de que timoneiro estará vinculado em algum emblema nacional

O mister merecia outra oportunidade

A notícia da não renovação do contrato com o técnico Nelson Santos acolheu de surpresa alguns jogadores do clube. Para eles, o treinador merecia continuar com o projecto do clube, tendo em conta o terceiro lugar conseguido nesta época.

“O mister Nelson é aquele que todos nós conhecemos, é muito exigente e a exigência dele faz dele um treinador fantástico, porque muitas vezes em Moçambique temos o hábito de dormir na sombra da bananeira, e o mister Nelson é alguém que não te deixa dormir e isso faz de ti o melhor jogador, eu gosto de trabalhar com o mister Nelson”, disse Isac de Carvalho, atleta do Ferroviário de Nampula.

“Agora é uma pena, acredito que ele não vai continuar, por isso desejar boa sorte a ele, boa sorte ao clube, boa sorte a todos atletas que souberam dignificar as cores do Ferroviário de Nampula”, referiu, prosseguindo que “eu acredito que o resultado final, conseguimos segurar o terceiro lugar é um resultado, não diria excelente, mas é bom para a província porque estamos no pódio, acredito que o trabalho dele, nessa perspectiva foi bem feito e quem tem um trabalho bem feito, deve merecer essa oportunidade de continuar, mas cada um pensa o que quer, eu apenas doou a minha opinião”, precisou o futebolista.

A mesma opinião foi manifestada por Payo, que desde ano passado foi adjunto técnico de Nelson Santos, “os resultados dizem tudo”, disse Payo Amarchande.

Refira-se que Nelson Santos chegou no Ferroviário de Nampula através a convite da direcção cessante, para suceder a Chaquir Bemat, com vista a inversão dos maus resultados que a equipa ia registado nas primeiras jornadas do Moçambola de 2021. Com o português no comando, os axinenes de Nampula conseguiram garantir a manutenção na prova, ao ocupar o 10º lugar na tabela classificativa, com um total de 31 pontos. (Constantino Henriques)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui