Nampula: INAE ainda pondera encerrar barracas que vendem álcool nas imediações das escolas

0
196

Nampula (IKWELI) – A canção não é nova. Sempre que o assunto vem à tona, as promessas são as mesmas e de diversas entidades governamentais, mas o problema prevalece. Há bares e barracas que comercializam álcool e outras drogas nas imediações de escolas na cidade de Nampula.

A Inspecção Nacional de Actividades Económicas (INAE) é uma das instituições que vem prometendo medidas para estancar este mal que, praticamente, está a desviar adolescentes e jovens no processo de ensino e aprendizagem.

Silvano Alexandre, delegado da INAE em Nampula, disse ao Ikweli que tem conhecimento desta problemática e também, preocupa-o, tanto é que vai promover uma fiscalização para apurar a real situação e perigosidade destes estabelecimentos comerciais.

“Tomamos o conhecimento de que existem algumas barracas que, para além de vender alguns produtos que legalmente foram autorizadas, também exercem a venda de bebidas alcoólicas. Como Inspeção Nacional de Actividades Económicas vamos ao local para verificarmos qual é a legalidade dessas barracas daqui a uma semana e se constatarmos que realmente estão a vender bebidas alcoólicas, iremos encerrar”, garante a fonte.

Alexandre precisou que em novembro de 2023, 8 barracas que procediam contra as regras foram encerradas, incluindo algumas famosas “botle stores”.

“Quero apelar as pessoas que exercem essas actividades, que vender bebidas alcoólicas nas imediações das escolas é proibido por Lei, e nós não vamos tolerar que isso aconteça e em breve iremos encerrar esses estabelecimentos, para os pais e encarregados de educação, como autoridades, estamos atentos a esse tipo de situação e vamos encerrar por estar a violar um dispositivo legal que proíbe a venda de bebidas alcoólicas nas imediações das escolas”, ameaça o delegado da INAE em Nampula.

O conselho autárquico da cidade de Nampula, através da vereação da Promoção Económica, Mercados e Feiras, também, mostra-se preocupado com o fenómeno, por isso vai entrar em acção para perceber o tipo de licença que estes comerciantes detêm.

“Estamos a verificar as actividades que estão a ser desenvolvidas, a sua localização ao nível da cidade de Nampula, constatamos que de facto há esta situação, ainda estamos a verificar se tem licença e que tipo de licença tem que é para podermos tomar uma medida”, disse Cláudia Marques, vereadora da Promoção Económica, Mercados e Feiras do conselho autárquico da cidade de Nampula, concluindo que “não posso dizer exactamente o número, mas fizemos uma mostragem, de certas escolas, constatamos que há escolas que não tem esse problema, mas constatamos essa situação, por exemplo na escola secundária de Napipine, assim  estamos a fazer o levantamento das licenças”. (Virgínia Emília)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui