Nampula: 11 Pacientes contraem ferimentos graves por uso de métodos caseiros no tratamento da conjuntivite hemorrágica

0
73

Nampula (IKWELI) – A conjuntivite hemorrágica é um vírus que nos últimos tempos tem levado muitas pessoas a aderirem a métodos caseiros para tratar a doença. Tal situação tem contribuído para que os mesmos contraiam cegueira na província de Nampula.

Como é o caso de Abdala Eciate, que contraiu o vírus da conjuntivite em meados do corrente mês. Por influência dos amigos e conta própria decidiu usar métodos caseiros como folhas de feijão bóer, mandioqueira e óleo para fazer o tratamento da doença.

No entanto, a escolha do Eciate não saiu como previsto, pois encontra-se internado na maior unidade sanitária da região norte, Hospital Central de Nampula (HCN), há cinco dias, com grave risco de ficar cego.

“Fiz bafo com as folhas e lavei a cara e quando estava a lavar a cara não estava a conseguir ver nada. Pessoas de fora diziam para misturar sabão e óleo de cozinha e aplicar nos olhos, mas não melhorei, por isso estou aqui”, afirma.

Abdala agradece a Deus por não ter perdido completamente a visão, uma vez que a cegueira afectou apenas um olho. No entanto, com sinais de arrependimento, Abdala Eciate diz que o seu futuro tornou-se incerto, pois antes da tragédia trabalhava como técnico de frio, no distrito de Angoche.

“Eu já não sei o que vai ser de mim e dos meus cinco filhos. Desaconselho as pessoas a usarem métodos caseiros, porque é arriscado, hoje estou nessa situação por negligência minha”.

Para Rachida Luís, irmã de Abdala, não será fácil superar e se adaptar a nova realidade do irmão, “o olho direito dele não está bem, está todo ele estragado, por várias coisas que ele andou a colocar. Eu aconselho e apelo as pessoas a recorrer a uma unidade sanitária mais próxima quando tenham conjuntivite hemorrágica”.

Tal como Eciate, Rabia Issufo contraiu o vírus da conjuntivite e optou pelo uso de métodos caseiros o que perigou a sua saúde visual.

Recorde-se que, recentemente, Rabia ficou famosa nas redes sociais por ter sido o primeiro caso de conjuntivite que por conta do uso de métodos caseiros perdeu a visão.

Em entrevista ao Ikweli, a mãe da Rabia mostrou-se preocupada com a situação da filha, tendo em conta que a mesma tem dois filhos menores e que dependem apenas da progenitora.

“Já não sei como vai ser, estou preocupada, se ela continuar assim os filhos menores é que terão que cuidar dela quando eu não estiver por perto, porque eles vivem em Nacala e eu aqui”.

Essas histórias são apenas um reflexo de mais sete pacientes que se encontram internados no HCN com complicações graves de visão. Visto que, de acordo com a Médica Oftalmologista do HCN, Marta Jaime Budo, a enfermaria de oftalmologia conta com 11 doentes internados dos quais nove com perfuração ocular devido ao uso inapropriado de substâncias nas suas casas.

“Os pacientes estão a optar por fazer tratamento por indicações ao nível da comunidade, o que não é bom e agora já estão a ver as consequências. Falo de pacientes que colocam urina no olho, substâncias de folhas como feijão bóer e mandioca, o famoso dragão, usam bálsamo, entre outros”.

Marta Jaime Budo mostra a sua insatisfação pelo facto de o grosso número de pacientes internados estar a residir na cidade de Nampula, pois no entender da mesma são pessoas mais informadas e com maior disponibilidade de unidades sanitárias.

“Alguns são do distrito, mas o maior volume vem da cidade, aqui mesmo na periferia da cidade de Nampula e infelizmente são pessoas que poderiam ter acesso a unidade sanitária, podiam ter sido prescritos medicações correctas para não ter essa complicação, mas infelizmente por recomendação de vizinhos e amigos fazem isso e acabam tendo problemas”, concluiu a fonte. (Ângela da Fonseca)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui