BAD e Moçambique reforçam parceria para impulsionar o desenvolvimento de infraestruturas e comércio regional

0
183

Maputo (IKWELI) – O Banco Africano de Desenvolvimento e Moçambique reforçaram a sua parceria durante a visita do Vice-Presidente do Banco para o Setor Privado, Infraestruturas e Industrialização, Solomon Quaynor.

Esta visita, realizada de 12 a 15 de março corrente, sublinha o compromisso do Banco em apoiar a trajetória de crescimento económico de Moçambique, particularmente após a terceira revisão do Mecanismo de Crédito Alargado (Extended Credit Facility, ECF) do país com o Fundo Monetário Internacional e o recente Pacote de Aceleração Económica e Missão de Apoio Orçamental do Banco.

Acompanhado pelo representante nacional do Banco, Cesar Mba Abogo, o Vice-Presidente Quaynor reuniu-se com os principais responsáveis governamentais, incluindo o Ministro da Economia e Finanças e Governador do Banco Africano de Desenvolvimento, Ernesto Max Elias Tonela; o Ministro dos Transportes e Comunicações, Mateus Magala; e o Ministro da Indústria e Comércio, Silvino Augusto Moreno.

As discussões giraram em torno do apoio do Banco ao desenvolvimento do setor privado e à industrialização através de projetos de infraestruturas estratégicas ao longo de corredores económicos regionais vitais ligados a Maputo, Beira e Nacala. Estes corredores têm um potencial imenso para desbloquear as oportunidades económicas de Moçambique e fomentar o comércio regional com vários outros países.

Quaynor também realizou reuniões de consulta com outras partes interessadas envolvidas na economia moçambicana, incluindo a Associação Moçambicana de Bancos, a Hidroelétrica de Cahora Bassa, a Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique, a Companhia de Desenvolvimento do Porto de Maputo, a Confederação das Associações Económicas de Moçambique, a principal empresa de parques industriais de Moçambique, denominada Moz Parks, o Export Trading Group e o ministro canadiano do Desenvolvimento Internacional, Ahmed Hussen.

O governo moçambicano expressou a sua gratidão pelo apoio contínuo do Banco à integração regional e à industrialização verde na África Austral.

“Estamos encorajados pelas perspetivas económicas de Moçambique. A resiliência que a nossa nação tem demonstrado face aos choques severos é um testemunho da força e determinação do nosso povo. No entanto, reconhecemos que os fatores de fragilidade, tais como as alterações climáticas e as ameaças à segurança, continuam a ser uma preocupação. É por isso que as parcerias com instituições de desenvolvimento como o AfDB são tão cruciais. Estamos determinados a promover um crescimento inclusivo e verde para o nosso povo, a região e o mundo”, disse Ernesto Tonela.

A parceria entre o Banco e Moçambique alinha-se com os planos de desenvolvimento nacional do país e as estratégias de longo prazo da instituição, dando prioridade à governação económica, ao investimento do setor privado e à transformação agrícola sustentável – um setor crítico para a diversificação económica de Moçambique.

“A resiliência de Moçambique é uma forte indicação do papel de liderança que o país está pronto a desempenhar para garantir o fornecimento de energia verde ao Grupo de Energia da África do Sul, bem como a construção de corredores económicos resistentes ao clima para beneficiar os mercados internos em Moçambique, bem como o comércio regional com e de países sem fronteiras com o mar na Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC). Apreciamos a firme confiança do governo na capacidade do Banco para cumprir o seu mandato em Moçambique”, concluiu Quaynor. (Redação)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui