Nos EUA: CESC partilha experiências de retenção de raparigas nas escolas e promoção dos seus direitos

0
220

Washington (IKWELI) – O Centro de Aprendizagem e Capacitação da Sociedade Civil (CESC), através do Programa Avançando a Educação das Raparigas (AGE), participou, recentemente, nos Estados Unidos da América (EUA) na Conferência Internacional de Educação – 2024, promovida pelo CIES (Comparative and International Education Society), com o tema “O poder do Protesto”. A conferência reúne mais de 1.000 pessoas de 110 países.

Representado pela Directora do Programa AGE, Tassiana Tomé, o CESC participou no painel de debate sobre “Abordagens holísticas para possibilitar ambientes de aprendizagem em África: elevando as vozes de crianças, jovens e actores locais.” Neste painel, Tassiana Tomé e Alisa Philips, Especialista de Educação da World Vision, fizeram uma apresentação intitulada: “Ampliando as vozes das raparigas através de uma educação holística”.

Na sua apresentação, Tassiana Tomé partilhou os resultados e as estratégias multissectoriais do Programa AGE para reduzir as diversas barreiras e facilitar o acesso e permanência das raparigas na escola, bem como promover a sua autoconfiança e agência para que todas possam conhecer e exigir a realização integral dos seus direitos.

O CESC foi a única organização nacional que participou no painel que discutiu as “Abordagens holísticas para possibilitar ambientes de aprendizagem em África”. Os outros participantes, nomeadamente a World Vision, ChildFund e Save the Children são organizações internacionais e partilharam experiências de Zimbabwe, Libéria e Serra Leoa.

O Programa AGE é uma iniciativa financiada pela Agência dos Estados Unidos da América para o Desenvolvimento Internacional (USAID) e implementada por um consórcio liderado pelo CESC e que inclui a N’weti, Uataf, Kukumbi e a Visão Mundial. O Programa AGE apoia o ensino básico através da melhoria dos resultados da aprendizagem e protecção dos direitos das crianças, sobretudo das raparigas, através de acções para redução das barreiras que dificultam a inclusão e o avanço das raparigas no sistema educativo em 12 distritos seleccionados nas províncias de Nampula e Zambézia. (Redação)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui