Nampula: UnISCED não arreda o pé e vai continuar a ministrar em modelos híbridos cursos de enfermagem

0
361

Nampula (IKWELI) – A Universidade Aberta ISCED (UnISCED) disse que não vai acatar as decisões do Ministério da Saúde (MISAU) e da Ordem dos Enfermeiros de Moçambique, segundo as quais estudantes graduados, nos cursos de enfermagem de nível superior, por aquela instituição não serão reconhecidos para exercer a actividade no país.

O MISAU anotou ainda que, para efeitos de mudança de carreira, certificados emitidos por aquela instituição de ensino superior não serão reconhecidos.

Zacarias Magibire, porta-voz da UnISCED, disse a imprensa que o funcionamento e/ou introdução dos cursos em referência seguiu os tramites legais, tanto é que “relativamente ao curso de licenciatura em enfermagem, gostaríamos de esclarecer que este foi introduzido em 2021 e consta no lote de cursos acreditados que se destina aos enfermeiros em exercício, com experiência profissional de, pelo menos, 12 anos”.

Segundo esta fonte, o mesmo curso “funciona num modelo híbrido (online e presencial). Os cursos online dedicamos para teoria e as práticas são presenciais. Os estudantes vão aos laboratórios e as unidades sanitárias”.

“Relativamente ao que se propala nas redes sociais, pela Ordem dos Enfermeiros, a UniSCED, através dos canais apropriados, está a tratar de esclarecer o assunto do curso de enfermagem junto das entidades competentes”, anotou Magibire.

Entretanto, o porta-voz disse que os cursos ministrados por aquela instituição de ensino superior privada passaram por uma consulta pública, pelo que “quem acredita os cursos que as universidades oferecem não é a Ordem dos Enfermeiros, mas sim as entidades competentes. Naturalmente, a Ordem dos Enfermeiros entra para verificar se os profissionais formados têm a capacidade e habilidades requeridas para o exercício desta questão. Existem documentos oficiais que legitimam todos os documentos que estamos a oferecer, cabe a instrutora que acredita os cursos dizer que a UniSCED está ou não em condições, daí que vamos continuar a oferecer este curso de enfermagem online porque é legal e junto da instituição e altamente reconhecida na República de Moçambique”.

Por outro lado, esta fonte mostra-se indignada pela postura tomada pelo MISAU e a Ordem dos enfermeiros, pois “o que nós estranhamos é a postura da Ordem dos Enfermeiros, numa era de conhecimentos que potencia o uso das tecnologias para o ensino e aprendizagem”. (Nelsa Momade)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui