Nampula: Administradores distritais e directores de serviços distritais “não se cozinham”

0
426

Nampula (IKWELI) – Vive-se um mau clima entre os administradores e directores de serviços, em alguns distritos da província de Nampula, a mais populosa de Moçambique, devido a insubordinação destes últimos ante os seus superiores hierárquicos, uma situação que pode estar a afectar o normal funcionamento dos serviços visando a melhoria das condições de vida da população.

O caso foi despoletado pelo administrador de Malema, o jurista Morshido Daudo Momade, no decurso de uma Sessão Extraordinária do Conselho Executivo Provincial (CEP) de Nampula havida na última quarta-feira (6).

Morchido contou, em forma de reclamação perante o governador de Nampula, que nos distritos, particularmente no seu território, existem directores distritais que a todo custo tentam desacreditar as atribuições legais do administrador.

Essa desacreditação, muitas vezes é sentida nas tomadas decisões vitais para o distrito e o país, sem o consentimento do administrador. Destacou como evidência, a área de exploração de madeira em que o respectivo director emite parecer de atribuição de licença aos exploradores sem o conhecimento do administrador.

Aliás, o timoneiro de Malema disse não ter dúvidas de que os directores que agem dessa forma devem estar a gozar de alguma protecção de figuras acima de si, facto que lamentou.

“Nós estamos a ser desautorizados pelos directores distritais. Os directores distritais estão num nível de insubordinação. Eu não culpo as direcções provinciais, não culpo, também, os senhores administradores. Possivelmente alguns desses directores estão a ser acobertados por uma defesa que nós não sabemos de onde é que vêm esses que desautorizam os administradores distritais”, disse o administrador de Malema.

“Só vou dar um exemplo; um director distrital é normal dar um parecer e remeter a uma direcção provincial para que essa direcção provincial imita uma autorização. Uma autorização é um documento vinculativo, sem o conhecimento do administrador. Uma dessas áreas que eu pessoalmente tenho estado a negociar, que é na área de exploração de madeira, dá o parecer, o administrador não sabe, estão sendo emitidos licenças de exploração de madeira e o administrador não sabe donde é que veio este parecer para este cidadão ser concedido essa licença”, prosseguiu.

Para reverter este cenário, Morshido Momade pediu a intervenção, no caso, do governador de Nampula. Caso a reacção seja tardia, o dirigente ameaça suspender os insubordinados, mostrando-lhes as competências do administrador de um distrito.

“Não quero entrar noutras áreas, eu peguei isso como um exemplo, possivelmente muitos directores estão há muitos anos no distrito e nós encontramos lá. Então, acham-se no direito que podem desautorizar um administrador. Camarada governador, nós estamos aqui também a lhe representar. Se não tomar providência disto, eu pessoalmente um dia vou suspender um director e vou nomear uma comissão de gestão para eu mostrar esse director quem manda no distrito”, precisou a fonte.

“Então, estamos a pedir que os directores provinciais aprendam a conversar connosco, porque isso não está a funcionar”, rematou o antigo Presidente da Assembleia Provincial de Nampula.

Sabe o Ikweli que, muitas vezes directores provinciais têm convocado, directamente, aos seus directores distritais sem, no entanto, informar e/ou pedir autorização de uma ausência ao respectivo administrador.

Um dos sectores recorrentes é o da Educação, onde a directora provincial, Mariamo Agostinho, convoca os seus directores distritais para se ausentarem dos distritos sem, se quer, dar a conhecer ao superior hierárquicos destes quadros na administração pública. (Constantino Henriques)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui