Governo de Meconta preocupado em requalificar ruínas

0
271

 

Nampula (IKWELI) – O governo do distrito de Meconta, na província de Nampula, pretende requalificar edifícios que se encontram em avançado estado de degradação, alguns dos quais em ruínas, onde até funcionam algumas instituições públicas.

Uma das infra-estrutura, em estado deplorável, é o edifício onde funcional o tribunal judicial local, a procuradoria distrital e o Instituto do Patrocínio e Assistência Jurídica (IPAJ), a qual tem a sua parte traseira consumida pelo capim.

Por exemplo, os funcionários do tribunal judicial do distrito de Meconta dizem que não têm tempo para fazer limpeza na parte traseira do edifício, pois andam ocupados com a tramitação processual.

Melchior Focas Situte, administrador do distrito de Meconta, disse que o governo está a traçar novos mecânicos de reabilitação das antigas infraestruturas, mas uma boa parte dos proprietários encontra-se fugitivo.

Melchior assegurou que vários edifícios existentes naquele distrito são pertencentes a terceiros, daí que o governo do distrito fez saber aos proprietários das ruínas, através de um comunicado, que deveriam se apresentarem no prazo de seis meses, caso não o governo garantiu que poderia tomar outras medidas.

“Ao nível do distrito existem, na verdade, ruínas que já estão espalhadas quase por todo distrito, não é só aqui na sede do distrito de Meconta, mas também nos postos administrativos encontrámos algumas ruínas, essas ruínas umas foram antigas lojas depois foram abandonadas e outras as pessoas mudaram o tipo de actividade que é o comércio neste caso e deixaram sem o seu uso, mas o que está a acontecer na verdade é que nós fizemos um levantamento das ruínas, sobretudo aqui na sede do distrito e mandámos um anúncio para que os donos das ruínas se apresentem aqui na sede do distrito para ouvir deles o que está acontecendo e qual é planos que têm com essas ruínas”, disse o governante.

Segundo esta fonte, dos que respondem a chamada do governo de Meconta, apenas 2 apresentaram algum plano de exploração das infra-estruturas, mas “há outras que ainda não têm donos e não se apresentaram. Esses é que estamos preocupados, porque nós queremos que as pessoas que têm ruínas digam se têm ou não a capacidade de reaproveitar para nós direcionarmos as ruínas”.

“Veja que nós temos uma vila bonito, ruas bonitas só aquelas ruínas nos preocupam porque nos tiram estética da nossa vila sede, daí que estamos preocupados com essas ruínas, o levantamento que nós fizemos é para que se as pessoas não aparecerem, nós governo, como disse, até podemos pôr alguns serviços, temos muitos serviços aqui que estão a trabalhar numa mesma infraestrutura que nós queremos desmembrar que cada uma das instituições ficasse na sua infraestrutura, essa é que a razão muito forte, mas primeiro a estética da vila, segundo para reaproveitamento que existem aqui no distrito em geral”. (Malito João)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui