Namapa: INGD já está a prover assistência aos novos deslocados pelo terrorismo

0
291

Nampula (IKWELI) – A delegada do Instituto Nacional de Gestão e Redução do Risco de Desastres (INGD), em Nampula, Anacleta Botão, garantiu ao fim da tarde desta sexta-feira (23) que a instituição que dirige já começou a prover assistência humanitária aos novos deslocados pelo terrorismo que chegaram a vila de Namapa, distrito de Eráti, oriundos de Chiúre, na vizinha província de Cabo Delgado.

“Estamos a fazer assistência em 3 pontos”, disse a fonte, explicando que tal assistência é através de “uma ração para 3 dias, tendo em conta que teremos a cobertura por parte dos parceiros. Esperamos amanha uma equipa que entre para fazer a cobertura em termos de assistência alimentar e em higiene e saneamento”.

Anacleta Botão, delegada do INGD em Nampual

Segundo Botão, o INGD em Nampula está a prover, neste momento, assistência à “19.500 pessoas que são parte do primeiro registo. A medida que vamos fazendo o registo vamos garantindo a assistência”.

Os kits em distribuição são compostos por arroz, feijão, óleo de cozinha e sal.

Anacleta Botão contextualizou que “nós como INGD, assim que tomamos conhecimento viemos prestar assistência. Primeiro começou a fase de registo, para nós sabermos quantas pessoas o distrito está a receber. Finalizado o registo no primeiro e segundo dia, foi possível fazer a mobilização dentro do governo e junto aos parceiros e assim estamos aqui e demos início a essa assistência”.

“Os parceiros estão mobilizados, estão sensibilizados e estão a se preparar, também, para entrar no terreno e fazer a cobertura em termos de assistência”, afirmou esta fonte.

Por outro lado, Botão reconhece que “estamos ainda na fase inicial, precisamos ainda de cobrir várias áreas. Temos a área da saúde, temos a área de higiene e saneamento, e assim vamos cobrindo a assistência para todos os grupos alvos”, tanto é que “já conseguimos a identificar as crianças, os idosos e as pessoas com deficiência”, por isso “fizemos uma ronda pelos pontos de distribuição, a distribuição está a correr de forma ordeira” e “tranquilizamos a população de que o Governo está presente e com a população”.

A delegada do INGD em Nampula não descarta a possibilidade da abertura de um centro de reassentamento, por isso “fizemos a triagem no distrito. Já está identificado um espaço e a avalanche é notória, ainda temos pessoas a entrar. A avaliar pelas condições sanitárias somos de propor a abertura de um centro o mais rápido possível para garantir as questões mínimas de saneamento”.

Igualmente, Anacleta Botão garantiu estarem disponível 16 toneladas de produtos alimentares para os deslocados. (Aunício da Silva)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui