Nampula: Moto taxistas não respeitam limite de carga

0
199

Nampula (IKWELI) – Os serviços de táxi-mota, na cidade de Nampula, são cada vez mais surpreendentes, sendo que para além de sempre circularem com excesso de passageiros, agora virou destaque a quantidade de carga que levam.

A justificação dos operadores é de que querem ganhar mais, no sentido de incrementar os lucros e garantir uma vida estável para as suas famílias.

Desde manhã até o pôr-do-sol, nas principais vias, é possível assistir taxistas que no seu meio, transportam três a quatro passageiros, bem como mercadorias em excesso, ultrapassando assim a capacidade de carregamento da própria motorizada.

Alguns taxistas entrevistados pelo Ikweli, revelaram que o fazem por conta da crise económica e falta de emprego no país.

Edgar Pedro, taxista há três anos, afirma que os colegas têm violado as regras relacionadas ao número de passageiros, assim como a quantidade de mercadoria transportada.

“Em condições normais, na mota devemos carregar apenas um passageiro, segundo a lei, mas se fazemos isso é por causa da crise económica por essa razão carregamos três a quatro pessoas, é arriscado, mas não temos alternativa”, disse.

O mesmo acrescentou, ainda, que para a sua segurança e dos passageiros tem optado por uma condução defensiva.

Alexandre Venâncio, outro taxista, revelou que o sacrifício é feito para manter a manutenção da motorizada, bem como assegurar os gastos com o combustível.

“Na estrada é como no mar, esperamos por tudo, como dizem o homem viverá do próprio sacrifício, por isso, o que fazer? Não temos trabalho e muitos não estudaram. Por dia conseguimos 800,00Mt (oitocentos meticais) a 1000,00Mt (mil meticais) e esse dinheiro não chega para nada para nós que temos um agregado familiar alargado”, comentou.

Félix Maricoa referiu que os taxistas de mota têm cobrado, no mínimo, 30,00Mt (trinta meticais) para distância menores, um valor que para eles não compensa, por isso, preferem arriscar e levar um passageiro e a sua mercadoria para, pelo menos, conseguir 60,00Mt (sessenta meticais) a 70,00Mt (setenta meticais) por viagem.

“É uma vantagem para nós, apesar de ser arriscado, mas nessa situação tentamos diminuir a velocidade e tentamos esquivar os carros, apesar de não sermos considerados pelos condutores de carro, eles não respeitam os moto-taxistas”, acrescentou.

Enquanto isso, a Associação dos Voluntários para Organização e Orientação dos Táxi-mota (AVOTANA), diz que a falta de fiscalização deixa os operadores desfilarem a sua classe colocando em risco a vida dos passageiros.

De acordo com o presidente da AVOTANA, Albertino José, o actual cenário dos táxi-mota tem vindo a preocupar a associação, visto que os órgãos responsáveis pela fiscalização não têm feito o seu trabalho.

“Todos que foram capacitados pela AVOTANA conhecem os limites de carga e de passageiros, temos uma norma de não carregar crianças abaixo de 7 anos, mas não é o que se observa. Por falta de fiscalização torna-se difícil, uma vez que quem dá licença é o município”, explicou.

Albertino José diz que o mesmo acontece porque há falta de coordenação entre a AVOTANA e o município, por isso espera que a situação tome outros rumos com a nova governação municipal.

“Enquanto não haver coordenação entre AVOTANA e o conselho municipal sempre haverá pirataria, carregamentos e prática dessa actividade de uma forma não desejada. Pedimos que o novo edil reactive o memorando que poderá produzir receitas ao próprio município, mas também a actividade poderá ser proactiva”, disse.

Nesse período de 100 dias de governação, a fonte quer que o novo edil coloque brilho na actividade dos táxi-mota, obrigando ao uso de coletes, espaço para alocar motorizadas apreendidas entre outros.

Segundo revelou a AVOTANA, Nampula conta com um total de 147 praças para cerca de 3.118 moto-taxistas, onde desse número, apenas 100 tem a licença para operar, “isso porque o oque assistimos é que qualquer um que tem mota põe-se a praticar a actividade sem nenhuma capacitação”. (Ângela da Fonseca)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui