Governador do BM apela inclusão financeira como caminho para o desenvolvimento

0
164

Maputo (IKWELI) – O governador do Banco de Moçambique (BM), Rogério Zandamela, defende, recentemente na cidade de Maputo, que não há desenvolvimento sem inclusão financeira.

Na semana passada, o BM fez o lançamento da 5ª edição do Sandbox regulatório, evento que constitui sinal positivo do compromisso do banco emissor para com a inovação tecnológica.

O Sandbox tem como objetivo promover o desenvolvimento do mercado financeiro em Moçambique e contribuir para uma inclusão financeira.

“A criação de condições que favoreçam a inovação tecnológica não deve negligenciar os desafios ligados à mitigação de riscos, estabilidade financeira, protecção do consumidor e conduta do mercado”, recordou Zandamela, anotando que nas primeiras 3 edições do Sandbox, realizadas entre os anos 2018 e 2021, culminaram com a aprovação de doze fintechs, das quais duas empresas já foram licenciadas pelo BM e encontram-se a operar no mercado, explorando serviços de iniciação de pagamentos e transferência de fundos.

“A quarta edição do Sandbox, lançada em Janeiro de 2023, contou com a participação de oito fintechs, sendo seis nacionais e duas estrangeiras. Cinco fintechs participantes desta edição foram aprovadas, sendo uma plataforma de intermediação financeira, dois agregadores de pagamento, e duas plataformas de gestão de grupos de poupança e crédito rotativo”, avançou a fonte, explicando que “a quinta edição do Sandbox, que conta com a participação de 15 fintechs, as áreas a serem exploradas incluem o agenciamento bancário, credit scoring, plataforma de gestão de microcréditos, sistema digital de gestão de finanças pessoais, agregador de pagamentos e criptomoedas”.

“Através do Sandbox, as fintechs têm a oportunidade de testar os seus produtos e serviços num ambiente real, com a supervisão do BM. Isso permite-lhes obter feedback do mercado e identificar possíveis riscos antes de lançarem os seus produtos e serviços de forma definitiva”, asseverou o governador do Banco de Moçambique, concluindo que “o Sandbox Regulatório também pode contribuir para a redução do custo de entrada no mercado para as fintechs. Ao serem aprovadas pelo BM, as fintechs beneficiam de um regime simplificado de regulamentação, o que facilita o seu processo de licenciamento”. (Antónia Mazive)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui