Regan inaugura monitor da qualidade do ar da embaixada dos E.U.A. em Moçambique

0
235

Maputo (IKWELI) – O administrador da Agência de Protecção Ambiental dos Estados Unidos (EPA), Michael S. Regan, e o embaixador dos E.U.A., Peter H. Vrooman, juntaram-se na tarde desta segunda-feira (22) ao Presidente do Conselho de Administração da Agência Metropolitana de Transporte (AMT), António Santos Matos, e o director do Instituto Nacional da Meteorologia, Adérito Aramuge, para inaugurar um monitor de qualidade do ar nas instalações da Embaixada dos E.U.A. em Maputo.

“Monitorar a qualidade do ar é vital para os esforços colectivos para proteger a saúde daqueles que servimos”, disse o administrador da EPA dos E.U.A., Michael S. Regan, comentando que “estou orgulhoso de estar em Moçambique para assinalar a sua entrada na nossa rede global de monitores da qualidade do ar. Temos também o prazer de oferecer formação aos funcionários do governo de Moçambique sobre modelação da qualidade do ar, como parte dos seus esforços para combater a poluição”.

Os dados de qualidade do ar deste novo monitor estarão disponíveis em breve no site AirNow da EPA, permitindo que os tomadores de decisão públicos e governamentais monitorem a qualidade do ar em tempo real. “A má qualidade do ar afecta a todos, mas pode ser particularmente grave para as comunidades vulneráveis​”, disse o Embaixador Vrooman na inauguração, prosseguindo que “o monitoramento consistente, transparente e confiável da qualidade do ar é o primeiro passo para enfrentar esses desafios ambientais”.

O Departamento de Estado dos E.U.A. e a EPA estão a trabalhar juntos para registar e disponibilizar publicamente as medições da qualidade do ar em quase 80 Embaixadas e Consulados dos E.U.A. em todo o mundo que fornecem às comunidades locais as informações de que necessitam para tomar decisões informadas sobre saúde.

A poluição atmosférica está associada a uma série de efeitos significativos para a saúde – e esses efeitos podem ser mais graves para pessoas com doenças cardíacas ou pulmonares, crianças e adultos mais velhos. A Organização Mundial da Saúde estima que mais de 90% da população mundial está exposta a níveis perigosos de poluição atmosférica. O monitor de qualidade do ar mede um poluente atmosférico chamado PM 2,5, também conhecido como “fuligem”, que são partículas pequenas, suficiente para entrar nos pulmões ou na corrente sanguínea. (Redação)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui