Niassa: Há dificuldades para ter alunos suficientes na 1ª classe

0
229

Lichinga (IKWELI) – A fraca aderência dos pais e encarregados de educação ao processo de matrícula 1ª classe, coloca a província do Niassa, no norte de Moçambique, na lista das que não cumpriram a meta prevista para o novo ingresso de 2024.

A Direcção Provincial de Educação do Niassa tinha como meta matricular 112.128 alunos para a 1ª classe, entretanto até o dia 25 de Dezembro tinham sido matriculadas, apenas, 91.987 crianças, o que corresponde a uma fasquia de 82%.

Segundo o chefe do departamento de Estudos e Planificação na direcção provincial de Educação, Omar Orado, o não comprimento das metas está relacionado com a fraca aderência dos pais e encarregados de educação em alguns distritos da província, tais como Mecula e Marrupa.

“O que nos foi dito ao nível das escolas e dos distritos é que a fraca aderência dos pais e encarregados de educação tenha sido a principal causa para o não cumprimento das metas. A tendência é que deixam tudo para o fim e o maior grito é que os pais têm baixa afluência nos locais de matrícula. O caso mais gritante é de Mecula com 45 por cento até o dia 25 de dezembro, é grave, mas nós já falamos com eles e disseram que os professores estão a fazer a matrícula porta-a-porta com o envolvimento da comunidade para ver se aumenta o número dos matriculados. Naquele distrito a meta era de 752 alunos para matricular até esse momento (03 de janeiro), só conseguiram 311”.

Orado explicou que dos 91.987 inscritos, 46.831 são raparigas, o que significa que estas estão em maior número no que respeita a alunos matriculados para frequentar a 1ª classe no ano lectivo de 2024.

“Conseguimos 84.4 por cento, o que significa que temos mais inscrições das meninas do que dos rapazes em termos percentuais, assim como numéricos e esses são dados dos que vão frequentar a escola pela primeira vez”, precisou a nossa fonte, a qual fez saber que para o presente ano, o sector de educação ao nível da província espera receber um total de 1. 429.850 livros. Sendo que neste momento, tem como stock dos livros da 1ª a 6ª classe 39.670.

“Neste momento estamos a aguardar qualquer informação para recepção desses livros. Por saber que há locais de difícil acesso, já estamos a fazer um plano para adiantar os livros que temos, para garantir que os alunos tenham material logo no início”, explicou.

Já no que diz respeito às matrículas do ensino secundário, o sector de educação ao nível da província, prevê inscrever 37.076 alunos. Desse número, 24.501 para a 7ª classe e 12.575 alunos da 11ª classe.

De recordar que o período de inscrição que arrancou em todo território nacional no dia 3 de janeiro, termina a 23 do corrente mês. (Ângela da Fonseca)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui