Home ACTUALIDADE Corrupção continua a enfermar Nampula

Corrupção continua a enfermar Nampula

0
90

Nampula (IKWELI) – Os sectores da saúde, educação e Polícia da República de Moçambique (PRM) são os que mais casos de corrupção registam na província de Nampula, segundo o Gabinete Provincial de Combate a Corrupção (GPCC).

A preocupação foi avançada pela directora provincial do GPCC de Nampula, Maria Emília Ferrão, que falava a margem da celebração do dia Mundial de luta Contra a corrupção, onde, a fonte disse que durante o período de Janeiro à Novembro aquele sector registou um total de 175 (cento e setenta e cinco) processos correspondente à 122 (sento e vinte dois) processos entrados e 53 (cinquenta e três) transitados do ano anterior, onde os mesmos foram remetidos para outros órgão de administração da justiça em razão da competência jurídica.

“Dos processos destacados, 80 (oitenta) são dos servidores públicos dos sectores como a PRM, Saúde e Educação, indicando a importância de aprimorar medidas preventivas e corretivas nesse âmbito”, anotou a fonte, prosseguindo que “de igual modo, foram registadas doze (12) detenções, das quais seis (6) em flagrante delito e outras seis (6) não, sendo que total dessas detenções revelam os servidores públicos”.

No âmbito da recuperação de activos, o gabinete arrecadou um valor aproximadamente de 9.000.000,00Mt (nove milhões de meticais), incluído um imóvel e quatro meios circulantes. “O que demonstra os esforços envidados para minimizar os impactos dessas práticas ilícitas, e no quadro das acções preventivas conseguimos sensibilizar vários sectores públicos, com destaque para a polícia”, destacou.

Mais adiante, a fonte afirmou que “este é um combate difícil pela natureza dos crimes a que é ligado, um combate sem quartel e polarizado entre corruptos e corruptores não identificados pelos rostos, onde o envolvimento de intermediários, lobistas, aliciadores e coniventes com papel de cúmplices agrava e tende a perpetuar ganhos ilícitos, por isso o combate a corrupção não é algo institucional, entendemos que investimentos na educação é a chave do sucesso da nossa intervenção nesta luta”.

José Luís, director dos Serviços Províncias do Ambiente em representação do Secretário do Estado na província de Nampula, disse que os actos ilícitos minam de forma negativa a sociedade e apresentam ameaça silenciosa ao governo.

“A corrupção mina os valores da democracia e da moralidade, afecta diariamente todas pessoas. Caros funcionários e agentes do Estado, a corrupção impede o acesso ao emprego coroe a confiança nas instituições privadas e públicas e compromete o crescimento social, daí que este mal deve ser combatido de forma enérgica e sem tréguas”, recordou. (Malito João)