Graças ao Desportivo, nacalenses vão continuar a ver Moçambola em 2024

0
955

Nampula (IKWELI) – Com o golo soberano de Gito, o Desportivo de Nacala bateu o Desportivo de Pemba no último fim-de-semana, em jogo da segunda mão da finalíssima norte para o acesso ao campeonato nacional de futebol da primeira divisão, partida que teve lugar no Estádio Municipal de Pemba, província de Cabo Delgado.

Depois de perder na primeira mão por 1-0, em jogo disputado no campo da Bela Vista, na cidade de Nacala, o Desportivo de Pemba ainda alimentava a expectativa de qualificar-se ao Moçambola do próximo ano, já que uma vitória de 2-0 seria suficiente para tal feito, ou então vencer por 1-0 para forçar o jogo à marca de grandes penalidades. Tudo estava a postos na cidade de Pemba para na época que se avizinha vibrar com dois emblemas na maior prova futebolística nacional, pela primeira vez na história.

O desejo dos pembenses foi enterrado ainda na primeira parte da contenda, momento em que Gito aproveitou um passe longo de Messi para apontar o primeiro e único golo daquela tarde desportiva, fazendo com que o agregado ficasse fixado em 2-0, resultado suficiente para o Desportivo de Nacala regressar ao Moçambola, desta vez na sua edição do próximo ano.

Mateus Sitói, treinador do Desportivo de Pemba considerou justa vitória do adversário, tendo destacado a experiência que faltou na sua equipa como sendo causa principal da não concretização dos objectivos da agremiação que passavam pela passagem ao Moçambola do próximo ano.

“O que marcou diferença nesta final é o talento individual. Jogamos até onde pudemos, mas o talento individual marcou diferença nesta final, as duas mãos. O Desportivo de Nacala tem jogadores mais habilidosos do que os nossos, conseguiram no jogo da primeira mão num lance de bola parada marcar um bonito golo e hoje num lance individual a qualidade e experiência do Gito fez a diferença, apesar de que nós cometemos uma falha, uma distracção na área eles aproveitaram e fizeram o golo. Quando é assim, não podemos procurar o que falhou, temos que procurar ver o que marcou diferença. O futebol é isso, temos que dar mérito ao nosso adversário, com a qualidade de jogadores que eles têm e com aquilo que apresentaram nas duas mãos, são justos vencedores”, analisou o mister Sitói.

Para mister Barros, treinador do Desportivo de Nacala, a vitória veio coroar o trabalho levado a cabo pelo grupo ao longo deste ano, tendo agradecido os que colaboraram positivamente para que o sonho fosse concretizado.

“O Desportivo de Pemba dificultou-nos bastante, não conseguimos explanar aquilo que é o nosso futebol habitual. No intervalo demos um puxão de orelhas e melhoraram. Nos primeiros cinco minutos o Desportivo de Pemba dificultou-nos no nosso sector mais recuado, para verem se poderiam marcar um golo para, pelo menos, igualar a partida e depois conseguir o segundo golo e empatar a eliminatória. Mas penso que por aquilo que fizemos ao longo dos 90 minutos, aceita-se perfeitamente”, observou o treinador do Desportivo de Nacala.

De realçar que o regresso do Desportivo ao Moçambola faz com que a cidade de Nacala continue a assistir os jogos do Moçambola no próximo ano, uma vez que o Ferroviário local não conseguiu manter-se na prova máxima do futebol moçambicano. (Constantino Henriques)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui