Motarua vai deixar Pemba numa autêntica lixeira

0
619

Pemba (IKWELI) – Nas últimas quatro semanas, a remoção dos resíduos sólidos, não tem sido prioridadede Florete Simba Motarua, actual presidente do conselho municipal da cidade de Pemba, a terceira maior baía do mundo.

O lixo está em quase todas as principais vias e avenidas da capital provincial de Cabo Delgado, o mesmo pode-se dizer no interior dos bairros, situação que piorou com as últimas chuvas que caíram há dias.

Em alguns casos, segundo constatou a reportagem do Ikweli, o lixo chega a fechar as vias de acesso, por exemplo, próximo da delegação do INE e EDM. Na zona dos eucaliptos, próximo da delegação provincial da RENAMO, a situação está pior. Muito pior ainda é a realidade na zona da praia de Wimbe, debaixo da ponte próximo do complexo turístico Nautilus e como também ao lado da base naval de Pemba. A vala de drenagem de Paquitequete está numa situação crítica.

O presidente da autarquia de Pemba, Florete Simba Motarua vai entregar as pastas ao novo edil entre finais de Janeiro e princípios de Fevereiro próximo, e tudo indica que, enquanto não forem removidos os resíduos sólidos, para Abdulgani Satar, cabeça-de-lista eleito no dia 11 de outubro, aquela será uma das principais questões com que vai lidar.

Os munícipes da cidade de Pemba, que só assistem a situação, simplesmente se calam, a seu modo habitual, dado que é terra de poucos críticos devido ao seu fanatismo ao partido FRELIMO, que lidera à edilidade.

Contudo, a preocupação é das autoridades sanitárias locais, que receiam a eclosão de cólera, numa altura em que, já houve casos no bairro de Paquitequete no mês de março do corrente ano, conhecido como local de fraco em saneamento do meio, além de registo de novos casos nos distritos de Montepuez e Chiúre a sul da província.

O médico chefe provincial de Cabo Delgado, Edson Fernando, veio à imprensa para alertar que caso não sejam tomadas medidas, de remoção do lixo, na cidade de Pemba pode eclodir mais outra vez a cólera.

Para Edson Fernando, a abundância do lixo e a problemática do abastecimento de água potável que aquela urbe vive, propiciam a eclosão da cólera a qualquer momento, apesar da prontidão do sector de saúde.

O governador de Cabo Delgado, Valige Tauabo, também está com medo de a cidade registar uma eclosão de cólera, tanto que na sua intervenção no bairro Paquitequete no dia 21 de novembro, sobre o dia mundial da pesca, apelou a observância das medidas de prevenção. Tauabo apontou, por exemplo, as mangas que não podem ser consumidas antes de lavadas.

O Secretário de Estado naquela província, António Supeia, igualmente precisou na sua visita, esta quarta-feira ao FIPAG, que se faça um novo calendário do abastecimento de água potável para evitar diarreias e cólera, mesmo que esteja em trabalhos de manutenção e expansão da linha.

Nos dias que correm, ao nível de Pemba, famílias chagam a ficar uma semana ou mais sem ter água nas suas torneiras, facto que complica a higiene pessoal e colectiva. (Redação)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui