Muitos alunos na sala de aulas enfraquece a capacidade do professor

0
361

Nampula (IKWELI) – O rácio professor/aluno na província de Nampula continua a impactar na fraca qualidade do ensino e aprendizagem em diversos estabelecimentos, primários e secundários públicos.

Alguns professores entrevistados pelo Ikweli, por ocasião da passagem do dia do professor, foram unânimes em afirmar que há cinco (5) anos, o ensino e aprendizagem por parte dos alunos era de extrema qualidade, comparativamente aos tempos actuais.

Nelson Joaquim Terra, professor em exercício na escola secundária de Muatala, explica que “o maior desafio é mesmo o rácio professor/aluno. Antigamente, nós tínhamos em cada turma 45 a 50 alunos na escola secundária de Muatala, mas hoje encontramos 110 ou mais alunos em cada turma, tanto no primeiro, assim como segundo ciclo, isso sufoca os professores e reduz a qualidade de ensino porque, não é fácil com o ambiente dos alunos nas salas de aulas, ensinar e avaliar o alcance dos objectivos e até controlar as turmas, é muito complicado por conta da superlotação que retira a qualidade do ensino e aprendizagem”.

Outro professor, que simplesmente identificou-se por Jesus e leciona na escola primária de Marrere, não esconde a sua preocupação e desafios enfrentados, “como profissional aproveito a ocasião para pedir ao governo que envide esforços no aumento de salas de aula para que como professores possamos trabalhar a vontade. Também gostaríamos que houvesse redução dos alunos em cada turma, pois se formos verificar nos estabelecimentos privados o número de alunos é reduzido e o professor circula normalmente nas salas de aula com vista a garantir a ordem e o bem-estar dos seus alunos”.

Por outro lado, o Secretario Provincial da ONP em Nampula, André Janna, afirmou que “o rácio professor/aluno também é uma preocupação para além de outras questões que apoquentam os professores, neste momento nós temos uma média de 90 alunos por sala e algumas turmas temos mais de 150 alunos” lamentou.

No entanto, os professores consideram que como forma de solucionar a problemática que também deixa agastados pais e encarregados de educação e condiciona o aproveitamento pedagógico dos alunos, o governo de Moçambique deve apostar na construção de mais salas de aula e contratar muitos docentes. “Uma das saídas desta problemática, seria a construção das salas de aulas o ensino secundário geral e existência de escola secundária em cada bairro e enquanto isso não acontece continuaremos com as dificuldades no processo de educação”, disse Nelson Joaquim Terra. (Nelsa Momade)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui