Vahanle denuncia irregularidades na votação

0
537

Nampula (IKWELI) – O cabeça-de-lista da Renamo, para a sua própria sucessão, no município da cidade de Nampula, Paulo Vahanle, votou por volta das 11 horas desta quarta-feira (11), na Escola Primária do 1º e 2º grau de Namicopo.

Falando a imprensa, momentos após exercer o seu direito cívico, Paulo Vahanle lamentou o registo das supostas irregularidades que caracterizou as primeiras horas de votação.

“Realmente já votei e me sinto bem por ter exercido o meu direito cívico neste ano de 2023”, começou por dizer Paulo Vahanle, para depois avançar com as alegações sobre os possíveis indícios eleitorais na autarquia que dirige.

“Dizer que este processo de votação ia correr bem, mas de momento não está a correr bem porque temos reportagens de eleitores com mais do que um boletim de voto. Fomos reportados na Escola da Cerâmica, fomos reportados na Escola 1 de Janeiro e vários pontos desta Autarquia. Também fomos reportados a retirada de eleitores da cidade de Nampula e, em substituição foram inscritos eleitores que vem nos distritos. Por exemplo, temos aqui informação de pessoas que vem de Muecate e que vão votar em Namicopo B, Mutauanha, campo Matchedje, 12 de Outubro e Parque dos Continuadores. Temos também os que vem de Murrupula e que vão votar na 3 de Fevereiro, Cerâmica, EPC Piloto, temos também os que vão na 7 de Abril. Temos indivíduos que vem de Mecubúri e que vão para Napipine, Escola de Maparra, EPC de Kanloka, e EPC de Muatala. Temos indivíduos vindo de Meconta que vão votar na EPC 7 de Abril, ADEMO, Cerâmica e Pavilhão de Desportos”, prosseguiu Vahanle.

“Aqui estou a dar exemplo de casos que fomos reportados por fontes dignas. Isto não ajuda para uma democracia que queremos edificar no nosso país. Nós devíamos dar a liberdade, o direito aos nossos munícipes da cidade de Nampula para escolher os seus verdadeiros representantes para o próximo mandato. Temos informação de que em Namicopo B a polícia foi encontrada com boletins a mais. Estas situações não vão nos ajudar, nós pedimos a quem de direito que discipline e é por essa razão que nós líderes religiosos temos que evitar nos envolver nesses assuntos porque não podemos ser responsáveis por esses crimes, roubo, injustiças na execução das nossas actividades”, precisou.

Apesar disso, Vahanle reiterou seu optimismo na renovação de mandato. “Todo jogador quando vai a uma competição, não põe outra coisa na mente senão a vitória. Eu pessoalmente me sinto muito favorito nestas eleições na Cidade de Nampula, mesmo durante a campanha os munícipes em todos cantos cantam a vitória do cabeça de lista, Paulo Vahanle”, rematou. (Ikweli)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui