32 Raparigas beneficiaram de kits de emprego em Nampula

0
403

Nampula (IKWELI) – Um total de 32 raparigas graduadas pelo Instituto de Formação Profissional e Estudos Laborais Alberto Cassimo (IFPELAC), na província de Nampula, beneficiaram de uma oferta de 10 kits de grupo para as áreas de canalização, corte e costura e electricidade, no âmbito do empoderamento económico inserido no programa da Secretaria do Estado da Juventude e Emprego “Meu kit, meu emprego” e que está a ser implementado pelo IFPELAC em parceria com a Fundação para o Desenvolvimento da Comunidade (FDC), através do projecto viva+.

Os cursos tiveram a duração de três meses e a entrega dos kits tem em vista criar oportunidades de auto-emprego, garantir o auto-sustento para dessa forma transformar a vida das raparigas.

Lurdes Dionísio, uma das beneficiárias do kit, cursou eletricidade durante três meses no IFPELAC, a mesma disse ao Ikweli que decidiu apostar no curso porque sempre gostou de brincar com energia.

No entanto, teve dificuldades para se formar, pois os seus pais não aprovaram a decisão dela fazer um curso considerado para o género masculino.

“Minha mãe dizia que esse tipo de curso era para rapazes, mas o cenário mudou quando ela passou a ver-me vestida de farda, pois ela entendeu que era meu desejo brincar com energia”.

Esta fonte afirmou estar preparada para servir a comunidade da sua província, no que diz respeito a instalação nas suas residências e não só.

“Estou grata pelos kits porque eu sei que vão ajudar-me, dizer que estou pronta e preparada para trabalhar com a comunidade”.

Quem também sente a mesma satisfação é Susana Almeida, que decidiu engrenar na área de canalização, apesar de não ter nenhuma experiência com os cabos.

“O projecto da FDC ajudou-me a ter conhecimento e técnica para seguir em frente. Foi difícil, mas graças a Deus consegui. E hoje recebemos material suficiente para colocar em prática os conhecimentos adquiridos durante os três meses”, disse.

Na ocasião, o Director de Programas da FDC, Adelino Xerinda, lançou um apelo as raparigas no sentido de abraçarem as oportunidades e seguir em frente, sem esperar que as empresas as contratem para um determinado trabalho.

“Vocês ainda são jovens e ainda tem muita coisa pela frente e a oportunidade já vos foi dada. Agora cabe a vocês pegarem na oportunidade com as duas mãos e ir ao mercado de emprego. Não esperem de nenhuma forma que agora que já estão formadas vão distribuir currículos e começar a procurar emprego não, não vai acontecer isso. O emprego que vocês devem procurar está à vossa frente que são os kits de canalização, as máquinas de costura e os equipamentos de eletricidade”, explicou Xerinda.

De acordo com o director de programas, as graduadas não devem esperar que os trabalham apareçam de “mão beijada”, mas sim, é necessário que apostem no estudo de viabilidade do mercado.

“Se vocês puderem passar, olhar e se oferecerem para fazer o trabalho, já é uma tarefa estarão a arranjar, por isso aproveitem essas valências que têm para poder fazer a diferença e ganhar dinheiro”.

Durante a sua intervenção, Adelino Xerinda partilhou que até final do presente ano, cerca de 250 raparigas ao nível dos distritos da província de Nampula, concretamente nos locais onde a FDC actua, irão beneficiar de kits de auto-emprego para o seu empoderamento económico.  (Ângela da Fonseca)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui