“Ninguém é mais forte na Frelimo sozinho” – Avisa Celso Correia, director de campanha dos camaradas

0
322

Nampula (IKWELI) – Segunda-feira, 4 de Setembro de 2023, o município da cidade de Nampula “acordou”, literalmente, agitado. Visitantes, maioritariamente, vindos da capital do país, Maputo, chegavam a este ponto no primeiro voo da companhia aérea da bandeira nacional, para porem termo a borbulhinha da indisponibilidade de um cabeça-de-lista que, internamente, tinha sido eleito com 100% dos votos.

Enquanto no fim da nanha todas as energias dos camaradas desaguavam no bairro de Natikiri, num complexo turístico que tem providenciado serviços aos camaradas, Manuel Rodrigues, primeiro governador eleito da mais populosa província do país, prestava contas junto dos membros da Assembleia Provincial, os quais reivindicam pagamento de ordenados em atraso, cuja soma é avultada.

Pouco depois do meio dia, chegou a Natikiri o chefe da brigada central do partido Frelimo de assistência a província de Nampula, Celso Correia, por sinal director nacional de campanha.

No interior da sala onde decorria a sessão, o ambiente era menos “confortável”, mas era preciso sair-se da situação que Rodrigues colocou o seu partido.

Um homem talhado na administração estatal, Manuel Rodrigues governa desde os tempos das Direções Provinciais de Apoio e Controlo, onde em Cabo Delgado dirigiu o sector, mais tarde viria a subir para o ministério, de onde apenas saiu para ser governador de Manica e mais tarde de Nampula.

Pronunciar o nome de Rodrigues naquela sala era a coisa menos desejada, tanto é que das vezes que se teve de faze-lo foi mesmo na aferição de presenças, assim como numa justificativa mínima dada por Correia sobre a necessidade da indicação de um novo cabeça-de-lista.

“Ninguém é mais forte na Frelimo sozinho”, recordou Celso Correia, uma mensagem que foi interpretada como um aviso a Manuel Rodrigues, homem que os corredores do seu partido o apontam como tendo ambições presidenciáveis.

Em relação as causas da indisponibilidade do então cabeça-de-lista para a autarquia da cidade de Nampula, Correia disse que as causas serão tornadas públicas a posterior, tanto do lado do partido, assim como do próprio Manuel Rodrigues. (Redação)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui