Estrada que dá acesso a Escola Secundária de Maparra continua intransitável

0
290

Nampula (IKWELI) – A estrada que dá acesso as escolas primária e secundária de Maparra, bairro de Muatala, na cidade de Nampula, continua intransitável e os alunos e professores daqueles estabelecimentos de ensino público enfrentam enormes dificuldades para acessarem o local. Os moradores locais também estão sufocados com a situação uma vez ser difícil manter a comunicação com o resto da cidade.

A estrada de Maparra estava nos planos de requalificação do então edil da cidade de Nampula, Mahamudo Amurane, a partir da zona de ADEMO. A via estava orçada em cerca de 2.000.000,00 Mt (dois milhões de meticais), através do orçamento participativo de 2017. Aliás, até já tinha sido apurado o empreiteiro da obra que incluía a construção de valas de drenagem, segundo uma placa que existe até nos dias actuais junto da Escola Secundária de Maparra.

O projecto caiu em terra após o assassinato bárbaro de Mahamudo Amurane, a 4 de Outubro de 2017, e a estrada continuou a assistir uma degradação condicionando a normal circulação das pessoas e bens.

A via ficou gravemente devastada no primeiro trimestre de 2022 devido a passagem do ciclone Ana. De lá para cá, a estrada em referência ficou totalmente intransitável, obrigando os utentes da mesma via a recorrer caminhos alternativos para chegar aos destinos, com destaque para a escola.

Os mais sacrificados, refira-se, são os alunos e professores do curso nocturno da Escola Secundária de Maparra, os quais, vezes sem conta, travam discussões com os donos dos espaços por onde as vias alternativas passam. Aliás, neste momento em alguns corta-mato foram montadas as barricadas para impedir a circulação.

“Aqui é no meu quintal, a estrada está aí para vocês passarem, porque não falam com o município para organizar”, dizia uma senhora numa fervorosa discussão com o pessoal docente do curso nocturno e outros moradores locais que procuravam passar na via que atravessa o quintal da mesma.

O triste cenário é sentindo na “carne e osso” no seio das Escolas Primárias e Secundária de Maparra, mas, por questões políticas, algumas pessoas preferem não se pronunciar e nem dar cara em torno deste assunto.

“O que estamos a viver é lamentável. Não se justifica que a gente deve recorrer as vias que passam nos quintais das pessoas para chegarmos numa escola como a nossa que é do Estado. Já passa muito tempo em que a estrada não é transitável, eu penso que o município devia fazer alguma coisa porque a estrada não beneficia apenas a escola, mas para toda comunidade daqui de Maparra”, palavras de um professor que preferiu o anonimato.

Para Selemane Age, um operador de táxi-mota, “esta é uma situação vergonhosa, devia-se fazer alguma coisa nessa estrada para as pessoas passarem normalmente. Ali temos duas escolas que acolhem muitas crianças desta zona, existindo outros alunos que vem do Matadouro, Cossore, para além dos próprios professores. Então, estou a pedir para o governo organizar esta estrada”.

Por causa da intransitabilidade da via, o preço de táxi-mota de ADEMO a Maparra registou uma subida de 30,00Mt (trinta meticais) para 50,00Mt (trinta meticais), para o período diurno e durante a noite o valor sobe, dependendo das negociações.

O município promete intervir só em Agosto

 O Conselho municipal da cidade de Nampula promete repor a transitabilidade da via a partir do próximo mês de Agosto. Em conformidade com Nelson Carvalho, director do gabinete de Comunicação e Imagem da autarquia de Nampula, a via de Maparra está na lista das estradas que neste momento estão a merecer intervenções.

“A via de Maparra será transitável a partir do mês de Agosto próximo. Neste momento estamos a criar condições noutras estradas. A estrada que vai até a escola de Nampaco já trabalhamos e já se passa normalmente, agora estamos a mexer a via que liga a zona do campo dos Macondes, depois daí vamos a Mukurua, por isso dentro do mês de Agosto a equipa vai escalar a via de Maparra”, disse ao Ikweli, Nelson Carvalho.

“Aliás, mais vale ainda lembrar que a via de Maparra está na agenda de pavimentação, nesse caso a segunda fase, porque a primeira fase é aquela que todo mundo testemunhou que é de ADEMO passando pela zona Militar. Mas neste momento só vamos criar as condições básicas de transitabilidade para depois avançarmos com a pavimentação”, precisou a fonte, sem avançar com os valores a serem envolvidos na reparação das vias mencionadas.  (Constantino Henriques)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui