Liupo entra na rota do tráfico de drogas

0
312

Nampula (IKWELI) – Uma das praias do posto administrativo de Quinga, no distrito de Nampula, no norte de Moçambique, pode ser o novo local de baldeamento de drogas na província de Nampula, através do Oceano Índico e que depois o produto é levado a outros pontos do país. Quase de forma regular tem sido visto um navio no alto mar e depois desaparece.

Suspeitam algumas fontes contactadas pelo nosso jornal que, justificam que a escolha de Liupo, resulta do aperto e melhoria de vigilância nas regiões de Nacala e Angoche, que recentemente eram tidas como as rotas preferidas de tráfico de drogas e que em algumas vezes o Serviço de Investigação Criminal (SERNIC) em Nampula interpelou.

As nossas fontes explicaram que a fraca preparação dos agentes das autoridades locais e facilidade de corrompimento dos mesmos, tanto como o facto da descarga acontecer a meio da noite, contribui bastante para ocorrência de ambiente de movimentação de considerável quantidade de droga em Liupo.

Um agente da Polícia da República de Moçambique (PRM), afecto naquele distrito, disse que há sinais que indicam movimentos estranhos que pode ser de esquemas de tráfico de drogas, mas muitas das vezes, a tal movimentação acontece de forma escondida ou porque os tais apontados se lidam com assuntos de venda e comercialização de diverso pescado, como camarão e outros, o que torna difícil pegar em flagrante.

“Temos todos sinais de que há um tipo aqui que faz movimentação em tempos impróprios. Por exemplo, à noite, um carro vai lá na praia, ou entra naquele posto administrativo [Quinga], mas na praia, lá para as 19 horas, só que nós não temos provas e é isso que estamos a tentar, as vezes sentimos alta noite movimentação de viaturas, até porque há carros aqui que não chegam na cidade, nem na vila, só andam aqui mesmo”, argumentou a nossa fonte.

Mais a diante, a mesma fonte contou que “um dos colegas quase teria interpelado um esquema de tráfico, mas, o erro dele é que estava sob efeito de álcool, mas o negócio, seguiu, porque ali mesmo teria chegado o chefe do posto e ele disse ao chefe que vocês sabem alguma coisa, estão a traficar drogas, o assunto aqueceu e ele é precisado na província para explicar bem”, revelou, apontando que isso terá chamado atenção aos supostos traficantes a melhorarem os seus movimentos.

A praia de Quinga é frequentada por pescadores locais, bem como outros provenientes de Namige, no distrito de Mogincual e Parapato, Angoche. (Redação)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui