Vahanle: um autarca hostil à imprensa

0
423

Nampula (IKWELI) – O autarca da cidade de Nampula, Paulo Vahanle, tem se mostrado pouco amigo da imprensa, sempre que pode, na primeira oportunidade, ataca deliberadamente os homens da pena neste ponto do país.

As vítimas mais recentes incluem o secretário provincial do Sindicato Nacional Jornalistas (SNJ), José Arlindo, que é operador de câmera da Televisão de Moçambique e com a sua colega, Elisa Fernando, tinham sido destacados para cobrir a cerimónia de recepção de duas ambulâncias adquiridas pelo governo municipal.

Quem, também, não escapou das investidas de hostilização da imprensa é o repórter Areno Fogão, do Wamphula Fax, que viu o seu telemóvel confiscado pelo director de Comunicação e Imagem da edilidade, Nelson carvalho.

Vahanle condicionou a sua declaração a retirada da equipa da TVM do local, alegadamente porque estes poucos passam a sua imagem, e da sua memoria vem o facto de que durante as celebrações do Id Ul-Fitr não terem passado a imagem do autarca.

Esta não é a primeira vez que Paulo Vahanle ataca os que podiam ser os seus melhores aliados. Repórteres do Ikweli, também, já foram deliberadamente vilipendiados pelo autarca do maior centro urbano do norte de Moçambique.

Por outro lado, para além de ataques verbais, alguns vindos do presidente da Assembleia Municipal, Tertuliano Juma, que também é membro da Renamo, a edilidade de Nampula tem se mostrado pouco acessível a imprensa.

O presidente da autarquia é o mais inacessível, pois, de vez em quando, os seus vereadores ainda escapam das ordens do director de Comunicação e Imagem e prestam declarações a imprensa. (Redação)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui