“Bombeiro foi destruído para o bem da Frelimo”

0
322
  • Afirma o secretário da OJM em Nampula

Nampula (IKWELI) – O Secretariado do Conselho Provincial da Organização da Juventude Moçambicana (OJM), em Nampula, chamou a imprensa nesta segunda-feira (8) para comunicar que o espaço onde funcionava o famoso mercado dos bombeiros, destruído no passado dia 28 de Abril findo, já está sob seu total controlo.

Em conformidade com Esmaiel Eugénio, secretário provincial da Organização da Juventude Moçambicana, o mesmo espaço será usado para a implementação dos projectos daquela agremiação, com destaque para lojas, cujos rendimentos irão beneficiar à organização e o partido Frelimo, patrono da OJM.

“Aquele espaço da feira desde foi da OJM. O espaço da feira ficou muito tempo a ser explorado pelos comerciantes dali e a OJM, naquela altura, não teve projecto para tal.  A OJM sentou e desenhou o projecto, entrou em contacto com os comerciantes em 2019 e os comerciantes não quiseram ceder naquele momento, mas a OJM como queria recuperar seu espaço foi mais vezes atrás dos comerciantes e foram os próprios comerciantes que entraram no tribunal. Iniciaram no Tribunal Administrativo e o tribunal disse que o espaço pertence a OJM, recorreram ao Tribunal de Recurso e o tribunal de recursos disse que o espaço pertence a OJM”, começou por dizer Esmaiel Eugénio.

“Neste momento, como já tivemos informação do Tribunal de Recurso a devolver espaço à OJM, cabe a OJM fazer seus projectos naquele espaço. Por isso mesmo, o espaço já voltou para a nossa OJM, e nós como secretariado do Conselho provincial vamos fazer os devidos efeitos, vamos usar o nosso espaço para o bem da nossa organização, para o bem do nosso partido, basicamente”, sublinhou o número um da OJM em Nampula.

Na praça, há rumores de que a OJM foi coagida por um reconhecido agente económico de nacionalidade estrangeira para expulsar os outros de modo que o espaço passasse a estar sob seu domínio. Chamado a comentar a volta desse aspecto, Esmaiel Eugénio versou que “o que nós queremos deixar aqui é que o espaço é da OJM, cabe a OJM decidir como vai usar o espaço. Ninguém vem coagir a OJM. A OJM é uma organização com estatutos próprios, que goza de privilégios próprios, que tem direito a ter seu património como OJM. Então, neste momento é a OJM que vai decidir quem poderá explorar o espaço”.

Quando questionado se está ciente dos danos que criou aos comerciantes cuja expulsão foi de maneira compulsiva, assim como aos cidadãos que viam o mercado dos bombeiros como seu ponto de sobrevivência, Esmaiel Eugénio preferiu manter-se no absoluto silêncio, mas a uma outra pergunta ironizou que “o projecto que nós queremos implementar naquela feira é para o benefício do próprio comerciante. Hoje os comerciantes estavam numas bancas, mas a OJM está a trazer um projecto de requalificação, que é para os comerciantes entrarem nas lojas.  Na primeira fase que nós fomos conversar com os comerciantes explicamos que vocês serão prioritários quando o projecto terminar. O assunto de DUAT não cabe a OJM porque o tribunal já decidiu que o espaço é da OJM”. (Constantino Henriques)

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui