Casos de cólera tendem a reduzir em Nacala

0
245
MSF teams are working on increasing the capacity of Lichinga Provincial Hospital’s existing Cholera Treatment Centre (CTC) to 50 beds. Our teams are also reinforcing health promotion messages, carrying out hygiene product distributions and donations, conducting training for health professionals on treatment, as well as increasing infection prevention and control (IPC) measures. In Niassa, according to the Ministry of Health, more than 1,400 cases and 13 deaths have been reported between mid-September 2022 and January 2023 in the five ffected districts: Lichinga – where the provincial capital is located – Lago, Mecanhelas, Mandimba and Sanga.

Mas a desinformação mantém

Nacala (IKWELI) – O distrito de Nacala, o primeiro a registar casos de cólera na província de Nampula, começa a reduzir o número de casos registados diariamente, e as entradas no Centro de Tratamento da doença estão mais relaxadas.

Anteriormente, tal como informou Julião Paulino, médico-chefe do Serviço Distrital da Saúde, Mulher e Acção Social de Nacala (SDSMAS), o Centro de Tratamento da Cólera recebia uma média diária de mais de 40 pacientes dos bairros daquele distrito municipalizado.

Contudo, a média reduziu para, pelo menos, 15 casos, resultado do envolvimento de diversos actores da sociedade no tratamento desta doença.

“Achamos que estamos num bom caminho, pois estamos a reduzir as entradas diárias. Houve um tempo que tínhamos acima de 40 casos em 24horas, e de ontem para hoje [segunda-feira para terça-feira] tivemos 17 casos entrados no nosso isolamento, e ficamos com 26 internados nesta altura”, disse Julião Paulino, para quem desde a oficialização da eclosão de cólera no distrito de Nacala até esta terça-feira (25) os números indicam dois óbitos por esta doença, sendo uma criança que foi levada ao hospital em estado grave.

O médico-chefe do SDSMAS de Nacala adiantou que até ao momento, o sector da saúde registou 501 casos cumulativos. E para que haja redução de casos e/ou eliminação da doença, o sector está em constante colaboração com os líderes comunitários, parceiros de cooperação, o governo municipal e o do distrito, sobretudo na disseminação de mensagens de prevenção da doença.

 

Desinformação mantém-se noutros cantos

Enquanto isso, o Secretário do Estado na província de Nampula, Jaime Neto, mostrou-se preocupado pelo facto de existirem casos de desinformação em alguns distritos da província, onde ocorrem com tendência de aumentar os casos de diarreia, a destacar o distrito de Memba.

Neto que esteve de visita ao distrito de Nacala para dentre vários assuntos inteirar-se da situação de cólera, disse ser urgente o trabalho da Polícia da República de Moçambique (P.R.M) a fim de encontrar os que propalam informações de que a cólera é causada pelas lideranças comunitárias entre outras entidades, em prejuízo da população.

“No distrito de Memba continuam situações de desinformação. São pessoas de má-fé e que nós achamos que devem ser responsabilizadas pelos problemas que estão a causar. É importante que todos sejam consciencializados que a cólera não tem culpado, é uma doença que provém principalmente das medidas de higiene quando não são perfeitas”, advertiu Jaime Neto.

Em entrevista à jornalistas, depois de visitar o Centro de Tratamento da Cólera em Nacala, o Secretário do Estado na província de Nampula apontou que o problema de saneamento, principalmente nos mercados, constitui factor que propicia a propagação da doença. “Então, o trabalho que a saúde está a fazer é controlar esses ambientes, estancar a cólera para evitar que possa alastrar-se para outros distritos. Felizmente temos esses três distritos, Nampula, Nacala e Memba, sendo que em Nampula temos casos ambulatórios, não temos ninguém internado”, acrescentou. (Esmeraldo Boquisse)

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui