Nampula mostrou-se robusta para enfrentar Freddy

0
199

Nampula (IKWELI) – A ministra da Administração Estatal e Função Pública, Ana Comoana, reconheceu a margem da IV Sessão do Comité Operativo de Emergência (COE), por si orientada, que a província de Nampula se preparou para fazer face ao ciclone tropical Freddy que se previa, severamente, afectar os distritos de Moma, Larde, Angoche, Mogovolas e Ribáuè.

O ciclone tropical Freddy entrou pela província da Zambézia, cidade de Quelimane, entre as 22h as 23h do dia 11 de Março de 2023 com a velocidade de 150 quilómetros/hora rajada de 195 quilómetros/hora. O INAM (Instituto Nacional de Meteorologia) prevê a continuação de ocorrência de eventos fortes (agitando o estado do mar e gerando ondas com alturas até 12 metros). Adicionalmente, prevê-se a ocorrência de chuvas intensas (mais de 200 milímetros em 24 horas)

A IV Sessão do COE teve lugar na manha deste domingo (12) na cidade de Nampula, e os dados apresentados pelo Instituto Nacional de Gestão do Risco de Desastre (INGD) mostram que até ao momento não acontecimentos de realce em consequência do fenómeno.

“Até a manha de hoje [domingo] não havia registo de impactos”, disse na ocasião Alberto Armando, delegado do INGD em Nampula, assegurando que neste momento equipas multissectoriais encontram-se no terreno a monitorar a situação e a confortar as comunidades.

“Continuamos a fazer o acompanhamento do fenómeno e em função disso em decisão pode se decidir a permanência dessas equipas, uma vez que a ameaça não está totalmente dissipada”, anotou Armando, avançando que “o distrito de Moma que seria com maiores impactos desenvolveu-se uma simulação de ocorrência do fenómeno para melhor testar o nível de preparação das comunidades face a aproximação deste evento”.

Ana Comoana enalteceu o nível de organização e preparação da província de Nampula para dar resposta a eventos climáticos extremos, mas apelou para que continuem os trabalhos de acompanhamento e sensibilização das comunidades.

“Vamos manter o apelo para as nossas comunidades para que tenham mais cuidado na travessia dos rios, tendo em conta que algumas bacias os seus caudais estão a registar o aumento do volume dos seus caudais”, disse a governante, que enfatizando a necessidade de ser ter mais cuidado com as crianças e adolescente que, muitas vezes, sem cuidado, vão ao rio tomar o banho.

Todavia, em relação a situação, “nas últimas 24h (até as 9h00 de 11.03.2023) houve registo de chuvas e níveis de água na rede de observação hidrológica da ARA Norte, IP com destaque para Meluli (Meluli – Natôa) – 7.08mm).

Devido a influência do ciclone tropical Freddy, o INAM prevê, para a província de Nampula, (todos os distritos) de 13 a 14 de Março corrente, continuação de ocorrência de chuvas fracas a moderadas, localmente fortes, acompanhadas de trovoadas e ventos fracos a moderados podendo soprar, por vezes, com rajadas locais. A precipitação acumulada poderá estar entre 10 a 50 milímetros no período em referência.

Entretanto…

Até ao fim do dia de ontem (12), o distrito de Moma, a sul da província de Nampula, que ao fim da última sexta-feira (10) já registava sinais da aproximação do ciclone tropical Freddy, voltou a normalidade.

As autoridades governamentais estimam que, pelo menos, 55 mil habitantes poderão afectados pelo evento climático extremo, por isso tem vindo a mobilizar-se para a mitigação dos impactos.

O administrador local, Abacar Chande, assegurou que o seu governo estabeleceu mecanismos para a retirada da população das zonas de risco, incluindo a formação e preparação de 23 centros de trânsito, para além de mensagens de sensibilização à população.

De acordo com o administrador, as comunidades de Mirupi e Mucoroje, que se localizam próximo a bacia do Ligonha que atravessa o distrito, serão as mais afectadas. Aliás, o fenómeno poderá atingir algumas comunidades do posto administrativo sede.

Face à ocorrência do ciclone, “o ponto de situação do distrito neste momento é calmo. O que estamos a notar agora são chuviscos e que não criam perigo. A chuva que estamos a registar neste momento é normal porque nem vento temos, então consideramos nós a situação como sendo calma. Mas mesmo assim estamos preparados”, disse o administrador numa entrevistada concedida à jornalistas no fim da tarde desta sexta-feira (10).

Posicionamento de bens alimentares

O Instituto Nacional de Gestão do Risco do Desastre (INGD), na província de Nampula, garante que, preventivamente, alocou o total de 5 mil quilogramas de produtos alimentares para os distritos que poderão ser afectados pelo ciclone tropical Freddy que se espera que atinja aquele ponto do país neste sábado (11).

Alberto Armando, delegado do INGD em Nampula, disse que neste momento os produtos já se encontram nos distritos de Angoche, Larde, Moma, Mogovolas e Murrupula.

“Estamos a manter as duas estimativas, uma que foi produzida a nível de Maputo que indicam que 36 mil pessoas podem ser afectadas nesses quatro distritos, nomeadamente, Angoche, Larde, Mogovolas e Moma, mas também fizemos um exercício junto dos distritos que indicaram locais e comunidades que sofrem de cheias e inundações e a estimativa que eles avançam é que, pelo menos, perto de 64 mil pessoas podem ser afectadas”, explicou. (Ângela da Fonseca, Aunício da Silva e Esmeraldo Boquisse)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui