Home ACTUALIDADE Transição de ano não foi tranquila em Nampula

Transição de ano não foi tranquila em Nampula

0
199

Nampula (IKWELI) – O Hospital Central de Nampula (HCN), a maior unidade sanitária na região norte de Moçambique, descreve o período de transição de ano 2022 para 2023 como sendo anormal, ao nível daquele ponto do país, tendo em consideração o fluxo volumoso de entrada de pacientes, na sua maioria em consequência de acidentes de viação.

Durante a transição de ano, o Hospital Central de Nampula registou a entrada de cerca de quinhentos (500) pacientes, uma evolução de 16% dos casos registados na transição de 2021 para 2022. Destas, 68 pessoas escalaram aquela unidade sanitária devido aos acidentes de viação das quais três perderam a vida no leito hospitalar.

As três pessoas que perderam a vida, em conformidade com Suleimane Isidoro, porta-voz do Hospital Central de Nampula, vinham carregadas numa motorizada e devido ao excesso de velocidade acabaram despistando, arredores na cidade de Nampula.

“A passagem de ano, concretamente nas últimas 48 horas do ano de 2022, foram caracterizadas por um ambiente um pouco anormal”, começou por dizer Suleimane Isidoro, para de seguida descrever que “ao nível do nosso hospital, a medida que nós recebemos este ano mais doentes do que o ano passado. Recebemos cerca de 498 pacientes contra 421 de igual período do ano passado, destes 68 casos foram de acidente de viação contra 38 que nós tivemos no ano passado”.

“Dos 68 casos que nós tivemos vítimas de acidentes de viação, três resultaram em óbitos. Foram doentes que se faziam transportar de motorizadas e entraram aqui no estado grave e todos eles resultaram em óbitos”, prosseguiu a fonte.

“Internamos, igualmente, 19 doentes em resultado destes acidentes, dos quais três crianças que neste momento se encontram fora de perigo. Tivemos 38 casos de agressão física contra 21 de igual período do ano passado e as outras situações como quedas e mordeduras foram em números muito ínfimos, não tivemos casos de lesões por objectos pirotécnicos e isto, pelo menos, mostra mais uma vez que a nossa população está a usar estes objectos com alguma melhoria naquilo que nós víamos nos anos passados”, acrescentou Suleimane Isidoro.

Por outro lado, aquele profissional de saúde lamentou o facto de muitos motoqueiros da cidade e província de Nampula persistirem em se fazer a via pública sem capacete de proteção, o que reduz as possibilidades de continuar vivo em caso de um acidente de viação. “A maior parte dos acidentes, como os que vitimaram os três ocupantes, foram de traumatismo craniencifálico, lesões da cabeça que muitas vezes são incompatíveis com a vida naquele momento”, disse a fonte.

Mãe embriagada mata sua própria filha em Muatala

Uma jovem dos seus 27 anos de idade tirou a vida da sua filha de apenas três meses, durante a noite de transição de ano de 2022 para 2023, no bairro de Muatala, na cidade de Nampula, no extremo norte de Moçambique, depois de ingerir níveis altos de bebidas alcoólicas.

Trata-se de homicídio involuntário, em conformidade com as autoridades policiais em Nampula, e tudo começou quando a jovem mãe foi numa bebedeira onde ingeriu quantidades não especificadas de bebidas alcoólicas e ao regressar a casa não teve o cuidado necessário na menor e acabou deitando-se sobre ela até a criança perder a vida, acto que viria descobrir depois de passarem os efeitos do álcool.

Os agentes da corporação tiveram a informação sobre aquele incidente, graças a denuncia feita pelo pai da criança.

Apesar deste incidente, a Polícia da República de Moçambique (PRM) em Nampula descreve o período de transição de ano como sendo tranquila e ordeira, uma vez que houve pouco espaço de manobra para os malfeitores.

“A transição da passagem de ano ocorreu sem sobressalto, a PRM desdobrou-se em todas áreas que mereciam algum destaque no que tange a cobertura policial, facto este que resultou em apenas um caso criminal que se trata de um homicídio involuntário”, considera Zacarias Nacute, porta-voz da PRM em Nampula.

“Tivemos, também, o registo de um acidente de viação na zona de Nassuruma (distrito de Meconta), do tipo atropelamento onde um cidadão que conduzia uma viatura acabou embatendo contra uma motorizada e posteriormente atropelou dois ocupantes desta motorizada que acabaram perdendo a vida, e teve também um cidadão que acabou obtendo ferimento por conta do mesmo acidente”, prosseguiu a fonte.

“Fazemos uma avaliação positiva dado ao reduzido número de crimes que são motivados por situações de animo de lucro, tivemos também situações operativas que foram conduzidas pela polícia com vista a garantir que situações criminais não pudessem ocorrer neste período de festividade e, como resultado destas ações, tivemos a neutralização destes indivíduos que estão aqui apresentados, como sendo grupos que se dedicavam a furtos nas viaturas, assim como aos cidadãos que passavam em vias públicas. Temos, também, grupos que se dedicavam a furtos em residências e todos esses foram devidamente neutralizados e encaminhados nas nossas subunidades policiais. De referir que na neutralização destes indivíduos que se dedicavam a furtos em viaturas foram, também, achadas algumas chaves falsas que os mesmos usavam para se introduzir nas viaturas e subtrair os bens que lá se encontravam”, disse Nacute. (Constantino Henriques)