Disponíveis 35 milhões de dólares para a estrada Malema-Cuamba

0
29

Nampula (IKWELI) – Pelo menos 35.000.000 (trinta e cinco milhões) de dólares norte-americanos serão necessários para a conclusão da asfaltagem da estrada que liga as províncias de Nampula e Niassa, através dos distritos de Malema e Cuamba, respectivamente, segundo anunciou a Vice-ministra das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos, Cecília Chamutota.

A ser desembolsado pela União Europeia, através do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), segundo garantiu a dirigente, serão cobertos os cerca de 35 quilómetros de estrada que estão em falta, sendo 15 quilómetros a partir do distrito de Malema o que inclui a ponte sobre o rio Mutivaze e os 20 quilómetros para quem saí de Cuamba, no Niassa.

“Percorremos o corredor de Nacala e, como sabem, com as obras de reabilitação e modernização do porto de Nacala, as infra-estruturas rodoviárias e estradas que ligam a este ponto são elementos importantes para completar toda a cadeia logística nesta região”. Com isso, “tivemos a oportunidade de ver a estrada que está a ser asfaltada a partir de Malema em direcção a Cuamba, incluindo a ponte sobre o rio Mutivaze que já está praticamente concluída. Ficamos satisfeitos pelo trabalho que está sendo feito no terreno”, começou por descrever Cecília Chamutota, sobre os trabalhos em curso naquele troço.

Já agora com o financiamento garantido, de acordo com a governante, está-se neste momento na fase do procurement para a selecção do consultor que fará a actualização do projecto de asfaltagem da estrada, bem como a fiscalização. Ademais, Chamutota sublinhou que com a criação das condições o consultor a ser seleccionado posteriormente terá quatro meses para actualizar o projecto de construção, o que significa que até o primeiro trimestre do próximo ano 2023 os trabalhos serão concluídos na sua totalidade.

Enquanto isso, a Vice-ministra das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos disse ter recomendado ao empreiteiro a concluir o processo de destruição dos encontros da ponte antiga, que é para permitir o fluxo da água, ao considerar que se está na época chuvosa. Daí “a necessidade de concluir o processo de protecção dos taludes numa das secções da estrada”.

Recorde-se que o troço Malema/Cuamba integra-se no lote “C”, de cerca de 114 quilómetros no âmbito do projecto de reabilitação e asfaltagem da estrada que liga a província de Nampula e a do Niassa, região norte do país, numa extensão de pouco mais de 315 quilómetros. (Esmeraldo Boquisse)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui