CISLAMO esclarece que “chamamentos” nas mesquitas não promovem a poluição sonora

0
290

Nampula (IKWELI) – O Conselho Islâmico de Moçambique (CISLAMO), delegação provincial de Nampula, diz não constituir verdade que as mesquitas estejam no grupo dos factores que propiciam a poluição sonora, facto considerado nocivo à saúde pública, tendo em conta ainda os sons altos que são emitidos nos momentos que antecedem as orações diárias.

O sheik Abdulmagid António, delegado do CISLAMO em Nampula, esclarece que os sons emitidos nas mesquitas não chegam a níveis que possam comprometer a saúde pública e ao meio ambiente.

“Não se deve somente focalizar as mesquitas como sendo as que promovem essa poluição, que não chega até a ser poluição, é um chamamento. Temos muita coisa ao nosso redor que emite sons que pode ser considerada poluição sonora”, referiu sem apontar nomes dos factores, prosseguindo que “na nossa cidade o comboio passa e faz barulho, os aviões também, então não se deve focalizar as mesquitas como as que promovem a poluição porque a tarefa delas é promover a moral, os crentes estão cientes disso e todo aquele que é residente em Nampula sabe qual é o papel das mesquitas”.

O representante adianta que “as mesquitas estão a salvar as pessoas da imoralidade”, para além de que “nem chega a ser muito tempo, são no máximo três a quatro minutos. Então não é poluição sonora”.

Por outro lado, António comenta ainda que “é uma matéria que, primeiro temos de saber a questão da poluição sonora está nas mãos do Conselho Municipal, que define quais são os limites até se chamar isso poluição sonora. E fazer menção das mesquitas num país que é laico como nosso, isso poderia, sem dúvidas, considerar-se como uma provocação, porque se formos a ver, as mesquitas que temos têm uma função de educar e promover a moral na sociedade. É através desse chamamento feito cinco vezes por dia que vem reforçar isso, onde cada crente é chamado a defender a moral na sociedade. É o momento em que as pessoas recarregam as suas baterias da fé”.

“Não se deve só se focalizar as mesquitas como sendo as que promovem essa poluição, que não chega a ser poluição, é um chamamento. Temos muita coisa ao nosso redor que emite sons que também pode ser considerada, sem mencionar a qualquer que seja, emite sons e pode ser considerada poluição sonora”, concluiu a nossa fonte. (Esmeraldo Boquisse)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui