Memba: Escolas continuam encerradas em Chipene e Lúrio depois dos ataques terroristas

0
87

Nampula (IKWELI) – O sector da educação do distrito de Memba, na província de Nampula, debate-se com a problemática do regresso dos alunos nas escolas, entre primárias e secundárias, bem como os respectivos professores, devido ao medo instalado no seio da população depois dos ataques terroristas ocorridos nos postos administrativos de Chipene e Lúrio, ainda no corrente ano.

No universo de 144 escolas existentes no distrito de Memba, apenas 100 retomaram as actividades depois da suspensão das aulas devido aos ataques que fizeram 1197 (mil e cento e noventa e sete) famílias deslocadas, o que corresponde a 6224 (seis mil, duzentas e vinte e quatro) cidadãos, a destacar crianças em idade escolar, segundo indicam os dados tornados públicos pelas autoridades governamentais locais.

Entretanto, apesar da reabertura de 100 escolas, o Ikweli sabe que ainda é deficitária a presença dos alunos e professores, ao considerar que parte destes deslocou-se para fora do distrito, no caso de Nacala, Nacala-à-Velha e o posto administrativo de Alua, distrito de Eráti, onde está parte significativa das vítimas do terrorismo, em Nampula.

“Pelo menos até na semana passada entrou lá o administrador do distrito dizendo que devia-se retomar as actividades a partir desta semana”, disse ao Ikweli uma fonte do sector da educação em Memba, para quem, apesar do regresso das famílias que se regista depois dos ataques no posto administrativo de Chipene, por exemplo, os alunos continuam ausentes nas escolas, pois apenas os adultos é que voltam às suas casas deixando para trás as crianças nos locais seguros.

A ser assim, “isso dificulta como é que se pode avançar com os trabalhos, porque a natureza do nosso trabalho é com os alunos. Se deixam as crianças nos locais de refúgio só voltam os pais e simplesmente para raspar a sua mandioca, torna-se difícil. Recebemos a ordem, sim, de que devíamos começar com as actividades, entraram nas escolas, mas mesmo assim estamos sem efeito por motivos desse cenário aí”, precisou.

Ao Ikweli, a fonte disse que o cenário se regista em grande escala nos dois postos administrativos Chipene e Lúrio, por sinal vulneráveis aos ataques. “Nessas outras escolas não houve ataque, mas o medo que paira no seio da população é maior”, realçou.

A título ilustrativo, e de forma generalizada, o distrito de Memba contava até aos finais do primeiro semestre do presente ano com 72.044 (setenta e dois mil, quarenta e quatro) alunos, número que depois dos ataques e até ao fecho desta edição reduziu para 42.927 (quarenta e dois mil, novecentos e vinte e sete).

O mesmo sucede com o corpo docente que, até ao momento, regressaram ao posto de trabalho 517 (quinhentos e dezassete) professores, no total de 795 (setecentas e noventa e cinco) afectos ao distrito de Memba, por sinal limítrofe com a província mais afectada pelo terrorismo no norte do país, Cabo Delgado.

Enquanto isso…

As Organizações da Sociedade Civil, por via da Plataforma Provincial de Nampula, reuniram nesta quinta-feira (29) com o governo, este último órgão representado pelo Instituto Nacional de Redução e Gestão do Risco de Desastre (I.N.G.D), a fim de discutir ideias e desenhar estratégias e/ou planos de acção de assistência às famílias deslocadas, tendo em consideração a sua vulnerabilidade.

Foi neste fórum que Timóteo Manuel, em representação do I.N.G.D, em Nampula, anunciou o plano de assistência aos deslocados, a destacar o apoio em géneros alimentícios e abrigo, que inicia nesta sexta-feira, dia 30 de Setembro, uma acção coordenada pelo I.N.G.D e as agências de resposta humanitária, nomeadamente, Programa Mundial da Alimentação (PMA), Organização Internacional para Migrantes e Refugiados (OIM) e a Agência das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR). Mas antes, sublinhou que parte das famílias deslocadas estão a regressar às suas zonas de origem em Eráti e Memba.

Igualmente, “está em curso o aprimoramento das listas dos deslocados para passos subsequentes, porque os números estão em constante actualização. É importante para nós, que nos unamos e dirijamos os esforços sobre aquilo que são os recursos que mobilizamos ao grupo de trabalho constituído, coordenado pelo PMA, que é para evitar a duplicação dos esforços. Portanto, eu tenho recurso, dirijo-me à equipe e vou fazer parte de todo o processo e aí evita a dispersão”, exortou aos líderes das diversas organizações da sociedade civil, Timóteo Manuel, presentes na reunião.

Outrossim, o representante deu a conhecer, na ocasião que no distrito de Eráti 3.672 (três mil, seiscentas e setenta e duas) famílias, correspondente a 18.772 (dezoito mil, setecentas e setenta e duas) pessoas, estão deslocadas devido aos ataques terroristas que assolaram a região no mês de Setembro em curso, das quais 15.169 (quinze mil, cento e sessenta e nove) pessoas estão no posto administrativo de Namapa, sede do distrito. (Esmeraldo Boquisse)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui