Polícia captura “futuros” terroristas em Nampula

0
73

Nampula (IKWELI) – Pelo menos 29 indivíduos, que integram cinco grupos distintos, foram abordados pela Polícia da República de Moçambique (P.R.M) quando, supostamente, tentavam engrossar ao grupo de terroristas que desestabilizam a província de Cabo Delgado, e parte de Niassa e Nampula.

Do universo dos indivíduos abordados, consta a presença de duas mulheres, uma natural do distrito de Palma, em Cabo Delgado, que afirma ter convidado mais sete homens de idade compreendida entre os 22 e 30 anos para fins de actividade de pesca na sua terra de origem. Igualmente, a cidadã já nas malhas da polícia chegou ao distrito de Nacala, em Nampula, na condição de deslocada em consequência dos ataques terroristas, por onde manteve relação amorosa com um jovem e que passaram a viver em união de factos.

Contudo, “sai do distrito de Macomia em direcção a Nacala, onde fui comprar redes e convidar pessoas, especialmente homens, para a actividade de pesca no distrito de Palma”, contou a cidadã, dando a conhecer que é proprietária de uma embarcação de pesca, porém, precisa de sete homens para trabalharem consigo.

Questionada das razões de adquirir redes de pesca em Nampula e de seguida convidar pessoas desta região para trabalharem à seu favor, a cidadã afirmou que “lá em Cabo Delgado há pessoas sim, mas são muito confusas, problemáticas e não trabalham bem”, e que o pagamento aos supostos pescadores por si convidadas seria por via de divisão em igual para igual da quantidade do peixe conseguido em cada ida ao mar.

Facto curioso, segundo tomamos nota, é que o grosso número dos indivíduos neutralizados é proveniente dos distritos de Nacala e Memba, aliás todos alegam a única razão da sua ida à província de Cabo Delgado, que é a actividade pesqueira. Mais ainda, os indivíduos divididos em cinco grupos foram convidados por pessoas conhecidas e tinham o mesmo destino: Palma, facto que despertou atenção à corporação naquele ponto do país, para quem depois comunicou as autoridades policiais de Nampula.

A polícia em Nampula, através do porta-voz Zacarias Nacute, explica que os indivíduos foram interpelados nos distritos de Palma, Quissanga e Macomia, considerados zonas de risco, por isso suspeita-se que se foram recrutados por indivíduos com conduta duvidosa, precisamente para aumentar os grupos de terroristas na região norte do país.

Nacute que falava a jornalistas aquando da apresentação dos indivíduos no comando provincial da P.R.M, sublinhou que a neutralização destes, resulta de um trabalho do grupo operativo de inteligência da corporação ao longo da província de Cabo Delgado. Entretanto, deixa claro que ainda não se sabe o rumo a seguir dos 29 indivíduos, embora concluir-se que pretendiam engrossar as fileiras dos terroristas, ao afirmar que “sobre esses indivíduos que foram retirados das zonas de risco, que estariam para engrossar os grupos de terroristas e que estão sob nossa custódia serão oportunamente encaminhados noutras situações, provavelmente nas suas zonas de origem ou então, se houver outro encaminhamento por parte das instituições de administração de justiça, poderão ter outro encaminhamento diferente das suas residências”.

Quando questionado se havia indício criminal para responsabilizar os já abortados, o porta-voz adiantou que são pessoas recrutadas de forma inconsciente e contra a sua vontade juntam-se aos terroristas. Daí, “trabalhando com suspeitas, como tem sido o trabalho das Forças de defesa e Segurança, para evitar que futuros casos de violação de direitos humanos, assim como casos de criminalidade possam ocorrer, a polícia teve informações fortes de que esses indivíduos estariam para fazer parte do grupo de terroristas, foram neutralizados e encaminhados aqui para que sejam, em alguma parte, devolvidos ao seu convívio normal”. (Esmeraldo Boquisse)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui