Namicopo: Jovem viola sexualmente menino de 13 anos

0
59

Nampula (IKWELI) – Um indivíduo, de 20 anos de idade, está sob custódia policial, indiciado de ter violado sexualmente um menor de 13 anos de idade, na cidade de Nampula, concretamente no mais populoso bairro de Moçambique, Namicopo.

O acto, segundo refere a própria vítima, já foi praticado pelo menos cinco vezes. Para aceitar manter relações sexuais entre os homens, o menor conta que foi aliciado com promessa de receber, de recompensa, um montante de 2.000,00MT (dois mil meticais), bem como aquisição de bens materiais, com principal destaque para um telefone celular, promessas que não chegaram a ser cumpridas.

“Ele me disse puto vamo-la, eu lhe perguntei, aonde? Ele me disse para lhe acompanhar e lhe acompanhei até a casa dele e me tirou roupa e me trabalhou. A partir dali comecei a não me sentir bem na barriga”, disse a vítima.

Para não ferir com os acordos firmados a vítima manteve tudo em segredo, sendo que o assunto só foi possível chegar a família, graças às denúncias feitas pelos amigos da vítima.

O indivíduo violador, por sinal um casado, é confesso de ter praticado o tipo de crime em destaque, mas refere que foi apenas uma vez que tal acto foi consumado.

“Estou aqui porque mantive relações com uma criança de treze anos em Namicopo. Foi apenas uma falha, porque eu já sou casado. Para o meu lado só foi no dia 22 de Agosto que fiz isso. Nesse dia eu levei a criança para a minha casa porque a minha mulher não estava, lhe mandei entrar dentro, lhe tirei a roupa daí comecei a lhe…”, disse o violador, para quem “até não sei como aquilo aconteceu porque estava a começar a fazer”.

“Após aperceber-se do comportamento estranho do menor ao nível da sua residência, os encarregados de educação aproximaram a polícia e fizeram denúncia e de imediato a polícia desencadeou diligências que culminaram na detenção deste indivíduo”, disse Zacarias Nacute, porta-voz da Polícia da República de Moçambique (PRM) em Nampula, a quem disse tratar-se do primeiro caso da mesma natureza que a província oficialmente reporta.

O pai do menor pede que a justiça seja feita contra os indivíduos em causa. “A mãe é que descobriu por causa da fraqueza, porque estava a apanhar muito. Ele não conseguia nem lavar a panela, nem ir ao poço, nem nada, a gente perguntava todos os dias se estava doente e ele dizia não, então o que foi, mas não fala. Então, os miúdos chegaram a abrir o jogo, disseram que ele anda com um boss, seja nas noites, então, a minha esposa começou a perseguir aquela situação até conseguirmos chegarmos nesta fase”, disse a fonte. (Constantino Henriques)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui