Detidos falsificadores de metical em Nampula

0
88

Nampula (IKWELI) – A Polícia da República de Moçambique (PRM), em Nampula, deteve na semana passada dois indivíduos indiciados de falsificar notas da moeda nacional, o metical, desta vez avaliadas em oito mil e duzentos meticais (8.200,00MT).

Especificamente, a polícia neutralizou os indiciados na zona da “Descida”, no bairro de Carrupeia, na cidade de Nampula, na posse de uma pasta contendo tais notas falsas do metical.

“Exacto, a Polícia da República de Moçambique ao nível da província de Nampula, no dia 28 de Julho na via pública, em plena patrulha no bairro de Carrupeia, área de jurisdição da 3ª Esquadra, interpelou um cidadão de 34 anos de idade na posse de uma pasta de costas e no acto de revista foi encontrado um valor monetário no valor de 8,200.00MT, notas falsas, sendo seis notas de mil meticais e 11 notas de duzentos meticais, respectivamente, assim como uma bolinha que continha droga do tipo cannabis sativa”, começou por dizer Dércio Samuel, chefe do Departamento de Relações públicas no comando provincial da PRM, no habitual briefing semanal havido nesta segunda-feira (01).

“Das diligências feitas”, continuou Dércio Samuel, “a Polícia da República de Moçambique neutralizou e deteve mais um indivíduo de 26 anos de idade que é a pessoa que imprimiu as respectivas notas apreendidas, porque ele trabalha numa fotocopiadora e, neste momento, o trabalho investigativo continua no terreno no sentido de neutralizar e deter o responsável da fotocopiadora e apreensão do material informático usado para a impressão dessas notas falsas”.

Os apelos da corporação às populações são no sentido de maior vigilância e denúncia de casos similares. “A Polícia da República de Moçambique quer apelar muito mais aos agentes do m-pesa para maior atenção a todo indivíduo que aproxima para depositar as notas, é melhor verificar. É preferível queimar tempo com a perspectiva de verificar se as notas são verdadeiras ou falsas, do que fazer tudo às pressas porque depois poderá se arrepender”, disse Dércio Samuel, acrescentando que “esses dois indivíduos tinham alvos os agentes do m-pesa, porque afinal de contas eles sempre imprimiam as notas depois procuravam os agentes do m-pesa que era para depositar. Então, a polícia quer mais uma vez apelar os mesmos agentes do m-pesa para melhor vigilância no acto de recepção de qualquer tipo de valor”.

No entanto, um dos indiciados admite ter praticado aquele tipo de crime. “Estou aqui por causa dessas notas. Eu trabalhava numa fotocopiadora, encontrei as notas e imprimi para ele (seu amigo). Eu não sei fazer, só imprimi e mostrei para ele porque é meu amigo e eu lhe disse para ir ver o que é isso. Ele foi e disse-me que as notas eram falsas, então eu lhe disse que eram notas falsas”, disse.

“Estou aqui por causa dessas notas falsas. Um dia ele ligou-me para que eu fosse no serviço dele. Quando lá cheguei ele deu-me o envelope e disse para que eu fosse ver em casa e, quando cheguei em casa vi que eram notas falsas. Então, liguei para ele informando que as notas eram falsas. No dia que eu estava a levar de volta para ele é quando a polícia me interpelou e expliquei onde estava a pessoa”, refere o outro indiciado.

Durante este ano esta não é a primeira vez que a PRM interpela quadrilhas que se dedicam a falsificação da moeda nacional, crime punível em termos da lei. Recorde-se, no dia 3 de Janeiro deste ano a corporação exibiu dez indivíduos que também falsificava o metical, sendo a data foi apresentado um dinheiro falso avaliado em mais de trezentos mil meticais (300.000,00MT).

Ainda na semana passada, a PRM destaca o registo de três casos criminais contra cinco de igual período do ano findo, todos eles esclarecidos. (Constantino Henriques)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui