Mecubúri: Polícia dispara contra mulheres da Renamo por comemorarem o seu dia

0
101

Nampula (IKWELI) – A Liga Feminina da Renamo assinalou nesta terça-feira (5) o dia do Destacamento Feminino da Perdiz, e a luz das comemorações, no distrito de Mecubúri, na província de Nampula, a Polícia da República de Moçambique (PRM) tentou sem sucesso

O Ikweli tomou conhecimento que, decorrente do impedimento da marcha, chefiado pelo chefe das operações afecto no comando distrital da PRM de Mecuburi, a polícia disparou para o ar por duas vezes, tudo na tentativa de inviabilizar a actividade dos membros e simpatizantes daquela organização político partidária, segundo considera o respectivo porta-voz provincial, Nelson Carvalho.

“Quando avançamos para a marcha alusiva ao dia do Destacamento Feminino da RENAMO, apareceu a polícia e começou a nos intimidar, sem motivos. Deram dois disparos para o ar, tudo isso feito pelo chefe distrital das operações. Intimidou os nossos quadros e membros do partido”, informou Nelson Carvalho, dando conta que “o mais caricato é que o chefe das operações estava muito bêbado, em estado elevado de embriaguez”.

Refira-se que o disparo foi efectuado nas imediações do hospital distrital que, para além dos cidadãos que seguiam a marcha, os utentes daquela unidade sanitária entraram em pânico, facto que preocupa a liderança do partido RENAMO representada na ocasião, pela delegada política provincial, Abiba Aba. Ademais, “como uma manifestação pacífica, ordeira e bem organizada, não haviam motivos para ser inviabilizada. O que notamos é que o chefe das operações agiu sob comando de outras figuras políticas. Deixou de exercer a sua actividade de defensor do povo e começou a tentar fazer política, o que não é actividade dele”, acusou.

A RENAMO queria agredir os agentes da polícia

Entretanto, quando contactado o comandante distrital da Polícia da República de Moçambique em Mecubúri, este confirmou a ocorrência do incidente, tendo afirmado que “na verdade houve essa situação. Como é que ocorreu não sei, mas me apercebi que quando as pessoas da RENAMO foram ao local, começaram a manifestar fazendo a marcha, os policiais aproximaram-se para se informar do que estava a acontecer, mas eles foram agredidos. Até haviam promessas de serem arrancados as armas, e foi nesse sentido que a polícia usou dois tiros ao ar para conter os ânimos dos manifestantes”.

Estando a gozar de férias de trabalho, o comandante garantiu ao nosso repórter que “houve diálogo porque a polícia ia exactamente para lá aperceber-se do que estava a acontecer. No meio disto, haviam pessoas oportunistas que queriam criar certa agitação e vandalizar os estabelecimentos comerciais”, informou o comandante que disse tratar-se de uma marcha realizada pela RENAMO sem a devida autorização, razão pela qual os agentes da corporação aproximaram-se ao grupo para se informar. (Esmeraldo Boquisse)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui