Home ACTUALIDADE Ancuabe: Em menos de uma semana terroristas matam 6 pessoas

Ancuabe: Em menos de uma semana terroristas matam 6 pessoas

0
65

Pemba (IKWELI) – Já é possível contabilizar os danos causados pelo ataque terrorista na aldeia Nanduli, distrito de Ancuabe. Até aqui são descritos como numerosos, e ainda que, de forma preliminar, avança-se a destruição de vários bens, mas o mais pior é o aumento das vítimas mortais.

Dados tornados públicos, e que o Ikweli teve acesso, indicam que o número de vítimas mortais depois do ataque à aldeia Nanduli subiu de dois para seis pessoas, dentre elas uma criança.

A onda de insegurança continua e nos últimos quatro dias, o distrito de Ancuabe viveu uma situação de caos quase total. Famílias a pé, com trouxas na cabeça e bebés ao colo ou de mãos dadas e outras em viaturas, com parte de suas bagagens, abandonaram as suas casas, mesmo em aldeias que não tenham sido atacadas, para a cidade de Pemba, Chiúre e Metuge concretamente.

Tal situação, obrigou o Governador Provincial, Valigy Tauabo, a deslocar – se até Metoro onde, em comício popular, pediu as famílias deslocadas a regressar às suas casas.

“Gostaria de pedir a todos que voltem para suas casas, porque a segurança e a ordem pública estão garantidas”, disse.

No conforto as famílias, Tauabo notou que as condições de acolhimento em Metoro não são das melhores, ao estarem sem abrigo no meio de tanto frio, uma vez ainda não haver resposta humanitária em tempo real.

Alias, ele até disponibilizou viaturas protocolares para ajudar pessoas que quiseram regressar às suas casas na sede do distrito de Ancuabe.

Na sede do distrito, onde devido o caos, as instituições públicas e privadas, com excepção de pequenas bancas, chegaram a serem fechadas, Valigy Tauabo orientou uma sessão extraordinária do Conselho Executivo Provincial, e no seu discurso de abertura garantiu que as FDS (Forças de Defesa e Segurança) estavam a par da situação trabalhando para repor a segurança.

Estima-se que, cerca de 600 famílias terão abandonado às suas casas em consequência do caos, que o distrito de Ancuabe, viveu nos últimos dias. (Redação)