Shopping do Povo será requalificado para albergar vendedores de rua

0
69

Nampula (IKWELI) – O vereador do pelouro da Promoção Económica, Gestão de Mercados e Feiras no Conselho Autárquico da Cidade de Nampula, Osvaldo Ossufo Momade, garante que todos os mercados em estado de abandono e/ou subaproveitados serão requalificados ainda no ano em curso.

Nesta empreitada, está incluso o “Shopping do Povo”, um dos sonhos mais modernos e civilizados idealizados pelo malogrado Mahamudo Amurane, então autarca da cidade de Nampula

Localizado no populoso bairro de Namicopo, o mesmo recinto é, também, conhecido por mercado de Mphavara, circunscrição que viu nascer e crescer Castro Sanfins Namuaca, edil que dirigiu a cidade de Nampula por dez anos.

Com uma infra-estrutura imponente, o mercado viu-se vandalizado por estranhos, mas alguns vendedores continuarem a vender do lado de fora, e o interior do mesmo ficou, sem regra, a ser usados para fins alheios, como a prática do fecalismo a céu aberto e depósito de resíduos sólidos.

Osvaldo Ossufo está ciente que cada mercado tem a sua realidade, tanto que uns tem problemas na totalidade e outros nem por isso.

“Nós, ao nível de departamento de Mercados e Feiras, temos estratégias para a ocupação destes mercados que não estão ocupados. Estamos a falar dos mercados da Subestação, Mphavara, e o mercado 25 de Junho localizado no bairro da Expansão. Sabemos que há vários mercados que não estão a ser usados, mas esses os três são principais da urbe”, disse o nosso interlocutor.

“Actualmente, queremos trabalhar com o mercado de Mphavara, porque aquele mercado está com características desumanas, tem muito capim, também, há registo de fecalismo a céu aberto e roubos diariamente, por parte dos munícipes daquele bairro. Os mesmo tem defecado em qualquer lado do mercado e registamos vários roubos de portas, janelas, entre outras coisas que se encontram naquele mercado, e nós queremos colocar em condições este mercado”, por isso “vamos colocar corrente eléctrica, água nos balneários, para depois sensibilizamos o pessoal que encontra-se a fazer comércio na zona do bispo para acomodarem-se naquele mercado”.

Osvaldo Ossufo entende que nem todos mercados têm problemas de vandalização, ou mesmo abandono, por parte dos vendedores. “Outros mercados pode ser o problema de organização e não de abandono”, suspeita esta fonte, citando “o caso do mercado do Matadouro, Waresta e da Subestação”, que enfrentam “questões organizacionais e não de abandono, e neste momento estamos a trabalhar no sentido de organizar estes mercados”.

Entretanto esta fonte fez saber que as famosas feiras dominicais que estavam desactivadas cerca de 2 anos, finalmente serão reactivadas, mas desta vez não será num único local, mas em todos postos administrativos da autarquia.

“Estamos a trabalhar no sentido de reactivar as feiras domínicas”, garante a fonte ao Ikweli, acrescentado que será de uma forma mais abrangente, porque “antigamente na nossa gestão tínhamos uma e única feira, que era feira dominical”, mas “o executivo, depois de fazer alguns estudos, viu que temos uma autarquia grande e podemos ter várias feiras, para além de aquela dominical”. (Hermínio Raja)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui