Renamo exige que seus líderes sejam condecorados heróis nacionais

0
127

Nampula (IKWELI) – O partido Renamo, maior formação política na oposição em Moçambique, exige as autoridades governamentais moçambicanas a condecorar seus líderes, com destaque para André Matsangaissa e Afonso Dhlakama, como heróis nacionais.

O desejo foi manifestado, na cidade de Nampula, nesta quinta-feira (03), durante as cerimónias do dia dos heróis moçambicanos.

Para a Renamo, os seus líderes, nomeadamente Andrá Matsangaissa e Afonso Dhlakama, ambos falecidos, reúnem todos requisitos para que sejam condecorados heróis nacionais. Aliás, para a Renamo em Nampula, as duas figuras se notabilizaram na luta pela paz e democracia em Moçambique.

André Matsangaissa, refira-se, foi o primeiro líder da Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO) que, alegadamente, não concordava com a filosofia governativa do partido Frelimo. Aliás, face a esse descontentamento, André Matsangaissa e seus seguidores deram início a uma guerra armada que demoraria, pelo menos, 16 anos, contra as forças governamentais. Matsangaissa, viria a perder a vida em pleno combate em 1979, portanto, quatro anos depois de formar o seu movimento.

Afonso Dhlakama, por seu turno, foi o sucessor de Matsangaissa. Com ele, a considerada guerra civil, que teve seu iniciou em 1976, continuou até 1992, tendo sido inclusive uma das personagens principais na assinatura do Acordo Geral de Paz, a 4 de Outubro de 1992 em Roma, capital italiana. Dhlakama perdeu a vida em 2018, vítima de doença.

“Queremos, aqui e agora, exortar as autoridades governamentais do nível central a condecorar suas excelências André Matade Matsangaissa e Afonso Macacho Marceta Dhlakama como heróis nacionais, pois estes filhos deste Moçambique, souberam lutar para a implementação da paz e democracia no nosso país”, disse Chehate Essimela, vereador do pelouro Institucional, Cooperação e Desenvolvimento no município de Nampula, durante as cerimónias do dia dos heróis moçambicanos.

Apesar disso, Chehate Essimela, que discursava em representação de Paulo Vahanle, presidente do município de Nampula, assegurou, na ocasião, que “o município de Nampula continuará a merecer a melhor atenção, através de iniciativas juvenis, promoção de auto-emprego e acções de prevenção e combate a corrupção, nepotismo, espírito de deixa andar, construção de infraestruturas que beneficiem a população”, precisou a fonte.

“No domínio da governação, vamos continuar a consolidar a democracia multipartidária, governação baseada na população e promovendo a planificação participativa e inclusiva para alavancar o desenvolvimento igualitário”, acrescentou o político.

As cerimónias centrais do dia dos heróis moçambicanos, ao nível da província de Nampula tiveram lugar na praça dos heróis na cidade de Nampula, capital provincial, e contaram com a participação, dentre várias individualidades, o governador provincial, Manuel Rodrigues, e o Secretário do Estado na Província de Nampula, Mety Gondola.

Os apelos dos dois governantes, resumem-se na necessidade de as populações continuarem vigilantes para que a província de Nampula não seja novo palco dos terroristas que continuam a tirar fôlego às pessoas de alguns distritos da província de Cabo Delgado, no norte de Moçambique. (Constantino Henriques)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui