Nampula: não remoção de lixo preocupa munícipes

0
137

Nampula (IKWELI) – Ao que tudo indica, nos últimos dois meses, a edilidade de Nampula não tem feito a remoção de resíduos sólidos nas diversas lixeiras espalhadas pela autarquia, e a situação começa a ser uma preocupação para os munícipes.

Ikweli entrevistou vários cidadãos residentes no maior centro urbano do norte do país, e estes exigem que a edilidade chefiada por Paulo Vahanle, para além de remover o lixo, também, deve desactivar muitas lixeiras que estão surgindo na via pública.

A não recolha de lixo agudizou-se nas últimas duas semanas, e com as chuvas moscas estão assaltando a cidade, o que pode ser um passo significativo para o surgimento de doenças de origem hídrica.

Na avenida das FPLM, as lixeiras invadem as vias de acesso, tal como sucede na rua que via e a escola primária e completa de Muahivire.

Algumas dessas lixeiras surgiram próximo a pontos de táxi de mota, bem como agentes de serviços financeiros electrónicos, os quais sentem-se lesados e preocupados com a situação.

Operando o serviço de táxi de mota, nas imediações do conhecido prédio maconde, Flávio Guilherme diz que “há mau cheiro neste local”, mas “não tenho como ir parar em outro local, porque é aqui onde conseguimos as nossas actividades”.

A memória deste entrevistado recorda que a última que viu um camião do conselho municipal a recolher lixo foi há duas semanas, e “isso até nos assusta, porque isso pode fazer com que contraiamos doenças de origem hídrica”.

Alves Maria Jaime, também operador de táxi de mota, é um outro munícipe que está indignado com o actual cenário de saneamento do meio na cidade de Nampula, e sublinha que “nós paramos aqui porque não estamos a ver onde recorrer para estacionar as nossas motorizadas, porque “nós somos conhecidos aqui nesta praça, por mais que o município tenha dificuldades de remover o lixo em alguns bairros, eles pelo menos devem recorrer as mínimas condições para retirar o lixo”.

“Por causa dessa lixeira, as pessoas para irem à escola primária de Muahivire são obrigados a procurar vias alternativas que, também, não estão em condições”, prosseguiu esta nossa fonte, que diz que quem, também, contribui são os trabalhadores da edilidade que, pelas manhas, varrem as ruas, por estarem a deitar o lixo fora dos contentores.

Entrevistado pelo Ikweli a propósito, Nelson Carvalho, director de Comunicação e Imagem no conselho municipal de Nampula, aponta que há dificuldades de alcançar algumas zonas da urbe para recolher o lixo, devido a falta de condições de transitabilidade.

Ainda assim, Carvalho está ciente de que “tudo aquilo que é lixo que se encontra na nossa cidade é nossa responsabilidade removê-lo, depositar em locais apropriados para que não possa perigar a vida dos nossos munícipes, mas também os munícipes devem trabalhar no sentido de facilitar o trabalho do conselho municipal no que concerne o processo de recolha e remoção dos resíduos sólidos”. (Hermínio Raja)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui