Mais de 72 Milhões de meticais são necessários para assistir as vítimas da ANA em Nampula

0
109

Nampula (IKWELI) – O governo da província de Nampula, a mais populosa em Moçambique, disse necessitar mais de setenta e dois milhões de meticais (72.000.000, MT) para assistir as pessoas vítimas da depressão Tropical ANA, que fustigou aquele ponto geográfico entre os dias 23 e 25 de Janeiro do ano em curso.

A depressão tropical ANA, nos dias da sua vigência ao nível da província de Nampula, foi caracterizada por chuvas acompanhadas de ventos fortes, sendo que os distritos mais fustigados são os localizados ao longo da zona costeira.

Dados preliminares das autoridades governamentais de Nampula, indicam que a depressão tropical ANA afectou de maneira directa um universo de vinte quatro mil, duzentos e setenta e cinco (24.275) pessoas, correspondentes a cinco mil, quinhentas e quatro (5504) famílias, através da destruição das suas residências em número acumulado de cinco mil, quinhentos e dezoito (5518) casas, assim como a perda dos seus bens, com destaque para os alimentares.

Após serem severamente afectadas pelos impactos do ciclone, parte das famílias vive em situações humanamente deploráveis, como a dificuldade no acesso a alimentos, acesso a água potável, condições de saneamento deficitárias, entre outros aspectos.

Entretanto, o governo provincial, através do Instituto Nacional de Gestão de Desastres e Riscos (INGD) disse não dispor de condições para garantir assistência, em vários domínios, das famílias afectadas pelas intempéries, durante os próximos 15 dias.

Por exemplos, as estimativas governamentais apontam que, para assistir as pessoas afectadas, são necessários, durante 15 dias, um total de quinhentos mil quilogramas (500.000kg) de cereais, mas que, actualmente, apenas dispõe de 12.400kg.

Segundo informações apresentadas nesta quarta-feira (26) pelo Secretario de Estado na província de Nampula, Mety Gondola, durante a Sessão Extraordinária do Comité Operativo de Emergência, dirigida pelo Primeiro-Ministro moçambicano, Carlos Agostinho do Rosário, para garantir uma assistência humanitária ininterrupta às pessoas afectadas, durante os próximos 15 dias, é necessário um montante acumulado de 72.031.300,00MT. Especificamente, o valor será destinado para aquisição de bens alimentares, bens de abrigo, utensílios domésticos, bem como água e saneamento.

Refira-se que nos primeiros quatro meses da presente época chuvosa (de Outubro a 25 de Janeiro de 2022), um total de 35.451 pessoas, correspondentes a 7905 famílias. No mesmo período, foram igualmente destruídas, completa ou parcialmente, um universo de 7.921 casas. Durante este intervalo de tempo, o registo de seis (6) óbitos ao nível da província.

A situação a que se encontra a província mobilizou o PM, Carlos Agostinho do Rosário, a se deslocar àquele ponto do país, e espera-se que visite os distritos mais afectados. (Constantino Henriques)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui