Memba: vendaval destrói 8 salas de aula e dois centros de saúde

0
113

Nampula (IKWELI) – Pelo menos oito (8) salas de aula e dois (2) centros de saúde ficaram totalmente destruídos no distrito de Memba, província de Nampula, em consequência de um vendaval que assolou a região, no passado dia 14 do corrente mês.

As 8 salas de aula pertenciam a duas escolas do ensino primário, precisamente a Escola Primária do 1 º e 2º grau de Miaja e a EP1 acordos de Lusaka, e os centros de saúde de Geba (destruído completamente) e de Namahaca destruído parcialmente.

Para além destas infraestruturas sociais, o mau tempo destrui, também, mais de oitocentas (800) casas de igual número de famílias, na sua maioria de construção não convencional. A intempérie afectou, também, o sector religioso, ao destruir cinco (5) igrejas e seis (6) mesquitas naquele ponto.

Refira-se que as comunidades mais assoladas pelo vendaval, são as de Miaja, Monapo, Namahaca, acordos de Lusaka, 7 de Abril e Geba.

A informação foi partilhada ao Ikweli, nesta terça-feira (18), pelo Administrador de Memba, Juma Cateria. “Também, a chuva provocou a interrupção de uma via, por causa de duas pontes que se encontram destruídas”, acrescentou Juma Cateria, antevendo que “a estrada que liga Memba a Nacala-a-Velha, também, está em via de interrupção, caso chova nos próximos dias”.

“Tivemos a destruição de cinco igrejas e seis mesquitas. A secretaria onde funciona a localidade 7 de Abril, também, encontra-se destruída. Em fim, são danos que o distrito (de Memba) sofreu com o vendaval que passou aqui no dia 14”, lamentou o governante.

Cateria descreveu, por outro lado, o estado deplorável em que se encontram as famílias directamente afectadas pelo mau tempo. “As famílias estão numa situação deplorável. Como pode ver é um número muito grande de pessoas que perderam as suas casas, algumas famílias encontram-se refugiadas em casas vizinhas que sobreviveram, alguns deslocaram-se para outros sítios e estão sendo cuidados pelos seus familiares”, disse, acrescentando que “mesmo do ponto de vista alimentar, também é uma situação preocupante. Procedemos a distribuição de alguns produtos que achamos que não terão sido satisfatórios”, reconheceu o sheik Cateria, para quem “neste momento, estamos à espera do reforço de produtos por parte do INGD e, nesta tarde vamos para o terreno para tentarmos nos solidarizarmos com algumas famílias”.

“Nós, como governo, temos nos desdobrado para encontrarmos mecanismos em como albergar essas famílias. Neste momento também, temos estado em contacto com diferentes organizações parceiras com vista a adquirir tendas, lonas, para atribuir essas famílias para começarem com a construção dos seus abrigos”, precisou a fonte.

Sobre as salas de aulas, e numa altura que está prestes a arrancar o ano lectivo 2022, Juma Cateria fez saber que, nas zonas afectadas, “há uma equipa multissectorial vindo da província que se juntou a nossa equipa de técnicos para fazer o devido levantamento para ver se podemos a devida reposição antes do ano lectivo. Comprometer, pode ser que sim, mas vamos envidar esforços no sentido de garantir que as salas destruídas estejam repostas em tempo recorde”, frisou.

No que concerne aos centros de saúde destruídos, e por forma a garantir a assistência médica a população, a fonte fez saber que “improvisamos algumas salas em Geba, onde as famílias estão sendo atendidas. Outro centro de saúde, como disse, foi destruído parcialmente, não foi totalmente, então, improvisamos outras partes onde achamos que está em condições e está a decorrer o atendimento das famílias, normalmente”. (Constantino Henriques)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui