Nampula: membros da Frelimo opõem-se a realização de teste da covid-19 na sessão do comité provincial

0
75

Nampula (IKWELI) – Alguns membros do partido Frelimo na província de Nampula, no norte de Moçambique, recusaram-se a fazer o teste da covid-19, bem como a tomar respectiva vacina, no decurso da quarta Sessão Ordinária daquela formação política que tem lugar na cidade de Nampula.

O comité provincial do partido Frelimo em Nampula está reunido desde esta quarta-feira (22) na sua quarta Sessão Ordinária, num dos complexos turísticos localizado no bairro de Natikiri, na cidade capital. Devido a pandemia da covid-19 que continua a ameaçar o país e o mundo, no local foi instalada uma brigada médica para garantir a testagem de cada participante naquela magna reunião. Entretanto, e contra todas as expectativas da equipa médica, alguns camaradas que vinham para o encontro, na sua maioria diretores provinciais e distritais, incluindo administradores distritais negaram serem submetidos ao teste para a covid-19.

Local improvisado para a testarem e toma da vacina contra a covid-19

O comportamento manifestado pelos membros da Frelimo em Nampula preocupou de certa maneira a liderança do partido no maior círculo eleitoral. Aliás, Luciano André de Castro, primeiro secretário do comité provincial da Frelimo naquela parcela do país, anunciou a suspensão da sessão obrigando que cada participante fosse testado e que só permaneceria na sala mediante o resultado negativo dos testes. Igualmente, Castro anunciou a redução de número de participantes.

A decisão de Luciano de Castro, segundo apuramos, foi acelerada com o facto de no mesmo local, as poucas amostras testadas terem resultados em três positivos para a covid-19.

“Por causa da pandemia da covid-19, exige tomarmos medidas severas nesses encontros. E porque tivemos uma informação da unidade sanitária aqui presente que há camaradas que não aceitaram o teste que está sendo feito lá fora e, porque de facto, a situação não está boa queríamos que os camaradas tivessem uma compreensão da direcção do partido. Os convidados que não tiverem uma tarefa concreta em comissão de trabalho seriam dispensados e só voltariam no encerramento”, começou por frisar Luciano de Castro, acrescentando que “ficariam aqui dentro da sala os chefes dos gabinetes distritais de preparação das eleições e os seus adjuntos. “Os membros do comité central, os deputados da Assembleia da República, também ficaram aqui dentro e os membros da Assembleia Provincial. O resto dos convidados que não tiverem os seus nomes nas listas de trabalhos, se não tiverem uma actividade muito concreta, então seriam dispensados”.

“Os camaradas que estiverem aqui dentro queremos ter a certeza de que testaram. Portanto, o aconselhamento que nos dão, a comissão da saúde que está nos assistir quer ter certeza de que os camaradas que vão participar nesta sessão todos foram testados e acusou negativo. Vamos flexibilizar esse processo, para retomarmos os nossos trabalhos logo depois do anúncio das comissões de trabalho e pedimos que compreendam esta situação”, disse Luciano de Castro.

Refira-se que o comportamento manifestado pelos camaradas acontece numa altura em que os casos positivos para a covid-19 voltaram a crescer de maneira assustadora no território moçambicano.

Interior da Sala onde decorre a sessão

De salientar que, a IV sessão do comité provincial da Frelimo em Nampula, com duração de dois dias, vai debruçar-se sobre vários aspectos destacadamente a apresentação, debate e aprovação do informe do governo provincial, dos deputados da Assembleia da República pela bancada da Frelimo, da bancada do partido na Assembleia provincial, entre outras actividades.

No fecho desta matéria, ficamos a saber que a sessão foi adiada para o próximo ano, em consequência do elevado número de casos positivos da covid-19 depois que os participantes aceitaram fazer a testagem. (Constantino Henriques)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here