Litígio de terra em Nampula: Governador do Banco de Moçambique admite que Nyusi teve de intervir para que obras da filial de Nampula fossem concluídas

0
313

Nampula (IKWELI) – O Presidente da República, Filipe Nyusi, procedeu a inauguração da filial do Banco de Moçambique (BM) na cidade de Nampula na manha de ontem, quinta-feira 25), 9 anos após o lançamento da primeira pedra.

A demora na conclusão das obras foi motivada pelo litígio que opõe o BM e o grupo empresarial Rajahussein Gulamo, o qual ainda não conhece do seu fecho, estando, actualmente, a ser tramitado no Tribunal Superior de Recursos de Nampula.

Oficialmente, o Banco de Moçambique nunca se tinha pronunciado sobre este litígio, mas quis o seu o governador, Rogério Zandamela, elaborar algumas linhas na sua intervenção para referir-se ao caso, especialmente para agradecer o PR pelo papel que desempenhou para que as obras conhecessem o bom fecho.

“Como é de conhecimento geral, esta obra ficou paralisada por longo período decorrente de um litígio desgastante para o Banco de Moçambique”, disse Zandamela, no seu discurso de ocasião, prosseguindo que para esta situação foi “muito difícil encontrar amparo mesmo nas instituições que visam proteger o bem público”, por isso “nesta sequência, o Banco de Moçambique apenas retomou recentemente a posse deste edifício que hoje estamos a inaugurar graças à liderança e comprometimento pessoal de sua excelência o Presidente da República”.

A titularidade do Direito de Uso e Aproveitamento de Terra (DUAT) sobre o espaço em referência ainda preocupa o grupo empresarial Rajahussein Gulamo que se vê sacrificado sem o ressarcimento pelos danos causados, considerando que no espaço já havia infra-estruturas. (Redação)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui