Home ACTUALIDADE Nangade: Militares atiram contra membro da força local

Nangade: Militares atiram contra membro da força local

0
51
terroristas raptam tres mulheres em Nangade

Nampula (IKWELI) – No âmbito dos esforços de combate ao terrorismo que assola distritos do centro e norte da província de Cabo Delgado, combatentes da luta armada de libertação nacional e seus descendentes foram apelados para se juntaram as iniciativas governamentais para proteger as aldeias, mas o convívio entre estes e membros das Forças de Defesa e Segurança (FDS) não tem sido pacífico.

Os membros das FDS não encaram como colaboradores os membros da designada força local, maioritariamente constituídas por estes combatentes da luta de libertação, por isso as suas investidas contra eles têm sido semelhantes as que promovem contra a população civil, com tratamento até desumano.

Na vila sede do distrito de Nangade tem sido recorrente maus-tratos entre as partes, e muito recentemente um cidadão foi espancado, até perder sentidos, por um militar por lhe ter negado o cigarro.

No dia 15 do corrente mês de Novembro, nosso correspondente em Nangade apurou que um membro da força local terá sido baleado por um militar, alegadamente, sem razão aparente. O acto ocorreu na aldeia de Ndenganamade, depois de um cruzamento menos amistoso entre um grupo de três militares e a vítima.

Sem discutir, segundo apurou o correspondente do Ikweli em Nangade-sede, o membro da força local, que na altura portava uma arma e vestido do uniforme, disse que ia ter com o comandante do grupo para receber ordens e que se não concordassem tinha o telefone para o ligarem ou mesmo poderiam ir juntos.

Consta que, os militares não concordaram e acabaram baleando em uma das suas pernas e abandonaram no local, onde graças a pedido de socorro, foi socorrido e encontra-se a receber tratamentos tradicionais.

O caso, segundo apurou o correspondente, foi reportado à Polícia da República de Moçambique naquele distrito, onde tem sido recorrente ouvir que militares fazem acções que põem em causa a vida normal da população local. (Redação)