Novinte foge por ter sido criticado nas mensagens de grupo cultural de mulheres de Namicopo durante o retiro da edilidade de Nampula em Nacala

0
252

Nampula (IKWELI) – O presidente do Conselho Autárquico de Nacala, Raul Novinte, abandonou o Conselho Consultivo da edilidade da cidade de Nampula, realizado na última sexta-feira (15), naquela zona turística, por alegadamente ter sido criticado por um grupo de tufo dirigido por mulheres do populoso bairro de Namicopo.

O Conselho Autárquico de Nampula realizou na última sexta-feira (15), numa das estâncias turísticas da cidade de Nacala, um encontro balanço designado “Conselho Consultivo do município de Nampula”. O evento visava analisar o actual estágio de governação da edilidade liderada por Paulo Vahanle, onde faziam parte os vereadores, directores e os chefes das bancadas da Assembleia Municipal de Nampula.

Aliás, os presidentes dos Municípios da Ilha de Moçambique e Nacala foram outros convidados de honra naquele encontro de reflexão, mas Raul Novinte, presidente do Conselho Autárquico de Nacala sentiu-se humilhado na sua própria casa por um grupo de tufo de Nampula e abandonou o evento muito antes do discurso de abertura que seria proferido por Paulo Vahanle.

Na verdade, o referido grupo de tufo composto na sua maioria por mulheres, por sinal vindo da cidade de Nampula, nas suas canções exigia ao Edil de Nacala a prestação de bons serviços aos munícipes daquela circunscrição geográfica. Aliás, segundo aquelas mulheres, a continuidade da Renamo na condução dos destinos do exigente e imprevisível povo de Nacala, dependerá dos trabalhos de Raul Novinte.

“O papá Vahanle lá em Nampula é campeão, ele está a fazer boas coisas para os munícipes que votou. Só para ver, já criou boas condições no pavilhão dos Desportos, já construiu uma estrada nos Belenenses, outra estrada em Mutauanha, outras estradas e pontes construídas e tantas outras em construção”, invocaram as mulheres para depois questionarem “e papá Novinte, aqui em Nacala o que está a acontecer?”

“O povo é que nos mandou”, diziam as dançarinas, prosseguindo que “não queremos ouvir que a Renamo perdeu um município que actualmente está a dirigir”, imperaram.

Grupo de mulheres que “descomandou” Novinte

Foram sucessivos “ataques” que o próprio Novinte perdeu a paciência e abandonou a sala. Para abandonar o evento, Raul Novinte justificou que iria dirigir actividades em alguns bairros daquela urbe e que voltaria oportunamente, o que não chegou de acontecer.

“Primeiro desejar boas vindas a cidade de Nacala, sintam-se em casa. Eu gostaria de ficar aqui muito com vocês, mas não vou puder estar aqui, tenho que sair para outra missão, recebi chamada agora mesmo, mas depois de tratar algumas coisas que estamos a fazer ali, já ouvimos as recomendações de que temos que trabalhar, então é o mesmo trabalho que estamos a fazer e eu tenho que estar lá presente. Vou, mas volto. Vou testemunhar algumas coisas depois volto”, disse Novinte que nunca mais voltou.

Segundo observou o nosso repórter, para além das críticas protagonizadas por aquele grupo cultural, Raul Novinte mostrou sinal de insatisfação logo na entrada da sala da reunião. É que Novinte vinha acompanhado de Vahanle e quando quis sentar na mesa do presidio lhe foi impedido pelo protocolo uma vez que ali só estariam o presidente do Conselho Autárquico de Nampula e o respectivo presidente da Assembleia Municipal.

Por outro, Novinte não terá gostado a maneira como foi feita a própria apresentação em que o mestre da cerimónia obrigou que cada presente na sala devesse se autoapresentar, excepto Paulo Vahanle e Tertuliano Juma, este último presidente da Assembleia Municipal de Nampula.

“Também, aquela forma de apresentar é assim mesmo?”, Ouvia-se os murmúrios de Novinte e seu acompanhante na saída da sala onde decorreu o referido Conselho Consultivo de Nampula que decorreu sob lema “município de Nampula reflectindo sobre a sua governação”. (Constantino Henriques)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui