Governo de Nampula promete mão dura contra os que especulam preços de cimento de construção

0
182

Nampula (IKWELI) – O Conselho Executivo Provincial (CEP) de Nampula promete mão dura contra os comerciantes que, unilateralmente, sem motivo aparente, especularem os preços de venda do cimento de produção naquele ponto do país.

Na cidade de Nampula, de maneira em particular, um saco de cinquenta quilogramas (50kg) de cimento de construção custa entre quinhentos e cinquenta meticais (550,00MT) a seiscentos meticais (600,00MT) nos revendedores, contra o anterior 515,00Mt (quinhentos e quinze meticais) que era praticado até o mês de Agosto passado.

A história de especulação de preços do produto, segundo reportamos na nossa edição 774, começou a verificar-se desde a terceira semana de Agosto deste ano, período que coincide com as restrições no seu fornecimento, pelas fábricas. A indisponibilidade do clínquer, uma das matérias – primas para o fabrico do cimento, no mercado internacional foi apontada, na altura, como uma das causas básicas para a carência daquele material de construção.

No entanto, para inverter a drástica situação, o governo de Nampula promete avançar com penalizações contra os especuladores de preço do cimento de construção nesta parcela moçambicana porque no seu entender, não faz sentido que tal aconteça uma vez que as fornecedoras ainda matem inalteráveis os preços que eram praticados anteriormente.

A escassez e consequente especulação de preço de cimento de construção foi um dos pontos que dominou a décima quinta (XV) sessão do Conselho Executivo Provincial de Nampula (CEP), mas a intenção de avançar com acções de penalização aos especuladores foi partilhada à imprensa, nesta quarta-feira (06), pela porta-voz da referida sessão, Gessy José Carangueza.

Aliás, a posição surge dias depois de o governador de Nampula, Manuel Rodrigues, ter visitado alguns estabelecimentos comerciais daquele produto por onde deparou-se com a triste realidade com que os seus eleitores estão submetidos.

“Já tinha sido orientado por este órgão, a Direcção Provincial da Indústria e Comércio para poder fazer um trabalho para aferir as causas de subida de preço de cimento na província de Nampula. O trabalho não terminou, está sendo feito, mas da monitoria feita constou que é uma especulação de preço porque as fábricas ainda continuam a manter os preços anteriormente praticados”, começou por dizer a porta-voz do CEP de Nampula.

“Portanto, continua com as orientações do Conselho Executivo Provincial para continuar-se a fazer a monitoria no sentido de fazer o controlo do preço anteriormente praticado. O que está a se fazer agora é tentar controlar, e é importante existir aqui uma coordenação com aqueles que são revendedores no sentido de voltarmos aos preços anteriores porque não há razão de aumentar o preço visto que as fábricas continuam a manter o preço original, embora no mercado a questão de o clínquer já ter uma subida, mas ainda não se refere na produção anterior. Então, não justifica que possa aumentar o preço naquilo que foi o cimento anteriormente produzido, por isso a Direcção provincial de Indústria e Comercio continua a trabalhar no sentido de estabelecer a ordem nos preços anteriores”, precisou a fonte.

Refira-se que a escassez e especulação de preço de cimento de construção civil não verifica apenas na cidade e província de Nampula. Informações que o Ikweli teve acesso, indicam que nas vizinhas províncias de Cabo Delgado e Niassa, também se vive cenário idêntico. Alias, segundo nossas fontes posicionadas nessas províncias, a cada 50kg de cimento chega a custar mais de setecentos e cinquenta meticais (750,00MT). (Constantino Henriques)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here