SUSTENTA prevê beneficiar cerca de 12 mil pequenos agricultores em Nampula na campanha 2021/2022

0
84

Nampula (IKWELI) – O SUSTENTA, programa nacional de integração da agricultura familiar em cadeias de valor produtivas, espera beneficiar na campanha 2021/2022, na província de Nampula, o total de 11.800 (onze mil e oitocentos) Pequenos Agricultores (PA), 68 Pequenos Agricultores Emergentes (PACE) e 25 Fomentadores Directo para a adopção de pacotes tecnológicos de gergelim, soja e arroz.

Para a campanha em referência, o Secretário de Estado na província de Nampula, Mety Gondola, procedeu ao lançamento da chamada pública para o programa na tarde da última quinta-feira (2).

O SUSTENTA tem como objectivo principal o aumento da receita agrícola familiar para o mínimo necessário para superar a linha da pobreza de consumo alimentar.

“Testemunhamos o lançamento da chamada pública de candidatura ao programa SUSTENTA, acto que decorre na fase de avaliação da campanha 2020/2021 e que os resultados preliminares desta campanha serão anunciados no corrente mês de Setembro”, disse o governante, prosseguindo que “a avaliação da campanha 2020/2021 coincide co a avaliação do primeiro ano de implementação do programa SUSTENTA a nível nacional, cujos resultados serão igualmente apresentados no mês em curso”.

Para a campanha 2021/2022, cada distrito de Nampula terá pacotes tecnológicos específicos, segundo deu a conhecer Mety Gondola.

O distrito de Eráti, que espera beneficiar 900 PA, através do financiamento de 5 PACE e 4 fomentadores directo, tem a missão de fomentar o pacote tecnológico que agrega o gergelim e a soja. Mogovolas tem o mandato de beneficiar 900 PA, através do financiamento de 2 PACE e 7 fomentadores directo, com a atribuição do pacote tecnológico de gergelim. No distrito de Angoche serão beneficiados 1.200 PA, através do financiamento de 7 PACE e 5 fomentadores directo, fomentado os pacotes de arroz e gergelim.

O distrito de Lalaua tem a missão de beneficiar 600 PA, através do financiamento de 6 PACE, com os pacotes tecnológicos de gergelim e soja. Em Larde, também, serão beneficiados 600 PA, através do financiamento de 6 PACE e com dois pacotes tecnológicos de gergelim e arroz.

No produtivo distrito de Malema, que foi piloto na implementação do SUSTENTA, espera-se que 1400 PA sejam beneficiados, através do financiamento de 9 PACE e 5 fomentadores directo, os pacotes tecnológicos de gergelim e soja; numa altura em que em Meconta 1400 PA serão beneficiados, através do financiamento de 6 PACE e 8 fomentadores directo, com os pacotes tecnológicos de gergelim e soja.

Mecubúri vai contar com 1400 PA, através do financiamento de 6PACE e 8 fomentadores directo, com o pacote tecnológico de gergelim, e Memba terá 600 PA, através do financiamento de 6 PACE, com o pacote tecnológico de gergelim.

O distrito de Nampula terá, apenas, 300 PA, através do financiamento de 3 PACE e vai fomentar o gergelim, numa altura em que Moma vai ter 1000 PA, através do financiamento de 7 PACE e 3 fomentadores directo para as culturas de gergelim e arroz.

O distrito de Moma vai ter o total de 1000 PA, através do financiamento de 7 PACE e 3 fomentadores directo, com as culturas de gergelim e arroz; e o distrito de Ribáuè que, também, acolheu a fase piloto do SUSTENTA, vai ter 1500 PA, através do financiamento de 5 PACE e 10 fomentadores directo com os pacotes tecnológicos de gergelim e soja.

“Aos pacotes tecnológicos mencionados adicionam-se as culturas alimentares de milho e feijões”, esclareceu Mety Gondola, explicando que “a estratégia de financiamento do programa é progressiva, significando que para esta campanha o número de beneficiários será limitado, e o programa irá gradualmente cobrindo um maior número de beneficiários nos próximos 5 anos, dando prioridade nesta campanha aos que submeterem a manifestação de interesse primeiro, tendo reunido os requisitos acima citados”.

O Secretário de Estado na província de Nampula deu a conhecer, ainda, que estrategicamente, “para a província de Nampula foram desenvolvidas linhas de financiamento específicas para a agroindústria”.

Em Moçambique, 67% da população reside nas zonas rurais e desta, cerca de 4,2 milhões de famílias praticam agricultura em regime de sequeiro no seu local de residência, em parcelas de terra com área média de 1,1ha, que representa cerca de 82% da economia rural.

Para a campanha 2021/2022, a chamada encerra a 15 de Setembro corrente. (Aunício da Silva)

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here