Home ACTUALIDADE Aumento salarial em Moçambique: Nova Democracia considera um total desprezo a classe...

Aumento salarial em Moçambique: Nova Democracia considera um total desprezo a classe trabalhadora

0
390

Maputo (IKWELI) – O partido Nova Democracia (ND) considera que o novo aumento salarial anunciado, recentemente, pelo governo moçambicano como sendo um total desprezo a classe trabalhadora nacional e mais um donativo humilhatório.

“O Estado Moçambicano após dois anos consecutivos sem qualquer aumento salarial, finalmente operou umaumento salarial na ordem de 100,00Mt (cem meticais), ou um pouco mais. Um aumento que se transfigura umtotal desprezo a classe trabalhadora”, lê-se num comunicado de imprensa, do partido liderado por Salomão Muchanga, distribuído a partir de Maputo.

A mesma nota aponta que “não faz sentido o salário mensal do mandante seja o subsídio diário domandatário. Isto atingiu proporções vergonhosos”, bastando notar que “para melhor compreensão dasituação salarial da massa laboral em Moçambique, o Estado que é maior empregador e o sector privado, vemadiando a já caducada cesta básica, insistindo em pagar miséria aos seus colaboradores, nos últimos 10/15,anos um salário pobre que não cobre as necessidades dos Moçambicanos, tão pouco resolve a questão dacesta básica da maioria, da força laboral”.

Por outro lado, o ND refere que “o tipo de concertação social baseado no amiguismo, orientação política empresarial, e um sector privado atrelado ao partido estado no poder, tem minado a situação do trabalhador, atal ponto de os aumentos salarial serem feito numa total falta de consideração dos cidadãos garantes da produção e produtividade da economia nacional”.

Esta situa, de acordo com o partido, “tem sido sucessivamente nos últimos 20/30 anos assim, situação agravada nos últimos anos, numa governação sem liderança nem agenda e que só faz prosperar salários defome e miséria”.

A Nova Democracia, na sua comunicação, condena a política especulativa da força de trabalho, e lembra ao sector sindical, o seu papel de defesa dos trabalhadores Moçambicanos.

“Não se pode perceber e aceitar que o sector que deveria proteger os trabalhadores, esteja atrelado, a especulação das maiorias assalariados em nome da defesa dos interesses das elites políticas, perfiladas nosector dito empresarial”, avança o partido, prosseguindo que “a Nova Democracia é solidária a situação dos trabalhadores Moçambicanos e augura que as entidades responsáveis pela negociação salarial coloquem amão a consciência e restituam o poder de compra dos Trabalhadores, garantindo uma educação,alimentação, saúde e prosperidade, a altura da produção e desenvolvimento da nossa economia”.

“Não fazem sentido algum, os aumentos que foram publicitados pelo Estado, mais donativo humilhatório doque reajuste salarial, com anuência do sector em sindical que se consolida a cada dia como uma célula deste regime opressor e que já cessou a sua personalidade política”, por isso, “a todos os trabalhadores, a Nova Democracia apela que continuem a lutar pelos seus direitos e a nível sindical em cada área sejam mais determinados, nas discussões para obtenção de mínimos salarial aceitável, e que não se deixem intimidar ou se vender em prejuízo da classe de trabalhadores que representam”. (Redação)