Não ignorem o Manuel!

0
244

Nampula (IKWELI) – O governador da província de Nampula, a mais populosa do país, Manuel Rodrigues, tem se destacado nos últimos dias com a promoção de acções de sensibilização dos cidadãos para o cumprimento escrupuloso das medidas de prevenção da pandemia da covid-19.

Sendo primeiro governador eleito na história de Nampula, Rodrigues, inicialmente calmo e com poucos holofotes, decidiu por dar cada vez mais a cara para que a terceira vaga da pandemia não seja tão drástica para os seus eleitores.

Com uma assessoria de imprensa que o afasta da mídia privada, o governador tem, recorrentemente, se deslocado para os principais espaços de aglomerados populacionais na autarquia da capital provincial, com destaque para mercados, escolas, ruas e outros.

Como lhe é característico, Manuel Rodrigues comunica-se em emacua, o que garante um maior envolvimento e interacção com os cidadãos.

É um governante que diz de cara o que não gosta, e como as coisas deviam ser. Na escola secundária de Nampula, a maior da região norte de Moçambique, Rodrigues zangou-se com a direcção porque as medidas de prevenção da covid-19 não estão sendo implementadas, e tão pouco transmitidas aos alunos para que os sigam.

Naquele estabelecimento de ensino, o governador monitorou, pessoalmente, como os alunos procediam para aceder as instalações, e a conclusão não foi das boas. “Estão a brincar com coisas sérias”, disse na ocasião o governante.

No mesmo momento, a direcção da escola, também, ia sendo censurada porque, no seu entender, pouco está a fazer para que aquele estabelecimento de ensino público não seja um foco de contaminação.

Depois da sua saída, as coisas voltaram ao habitual. Não há água na escola para a higienização das mãos, e ninguém controla a medição da temperatura, segundo constatou o Ikweli nos dias subsequentes a visita do governador.

Do lado exterior da escola, as crianças continuam brincando sem máscaras, sem observância do distanciamento físico e aglomeradas em dezenas.

Ainda assim, as investidas de sensibilização do governador continuaram em outros pontos da cidade. Foi ao mercado grossista do Waresta, e de lá pediu para que os que ali estavam sem nenhuma ocupação, sobretudo crianças, fossem a casa.

“Estás a fazer o quê aqui”, perguntava, em emacua, o governante, para depois de uma resposta pouco convincente apelar a menores para “melhor ir para casa”.

No interior do mercado, Rodrigues foi apelando para que sejam observadas as medidas de prevenção da doença, por isso dias depois uma força conjunta tem estado a trabalhar no Waresta para garantir o cumprimento das medidas, mas ainda falta a vontade popular.

A delegação do extinto Instituto Nacional de Transportes Terrestres (INATTER), também, já foi alvo de uma escalada desprogramada do governador. Esta instituição é uma das campeãs na aglomeração de pessoas, bastando notar que com um atendimento arrogante por parte dos funcionários ali afectos, uma moldura humana tem se concentrado do lado de fora. Do que viu, aparentemente, o governador não gostou.

Igualmente, Manuel Rodrigues tem caminhado pelas ruas da cidade, sobretudo no perímetro da sua residência oficial ao seu gabinete de trabalho, com o intuito de pedir para que os cidadãos observem as medidas de prevenção da covid-19. (Aunício da Silva)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui