Cáritas Diocesanas assistem perto de 40.000 famílias de deslocados internos em Cabo Delgado

0
397
Parte dos deslocados acolhidos pelas comunidades da Paroquia Santa Cruz

Nampula (IKWELI) – A Cáritas Diocesanas, uma organização da igreja católica, assistiu, na cidade de Pemba, desde Janeiro do corrente ano até a esta parte cerca de 40000 (quarenta mil) famílias deslocadas em consequência do conflito armado que assola os distritos do norte da província de Cabo Delgado.

De acordo com Manuel Mota, director da Cáritas Diocesanas em Pemba, a maioria dos deslocados são crianças e mulheres que chegam a capital de Cabo Delgado a procura de segurança.

Esta fonte refere que o ataque a Palma fez muitas vítimas mortais, incluindo deslocados internos que não sabem o que fazer e nem onde ir.

“A Cáritas não tem o número fixo de apoiados, ou seja, não fixa um número para dizer que vamos apoiar tantas famílias apenas. Não temos fronteiras, procuramos ir em todos os lados dentro das nossas possibilidades, sobretudo, onde não tenha havido algum apoio humanitário, ou as organizações humanitárias internacionais não podem ir por questões de protocolo de segurança”, disse Manuel Mota, para quem “o número que temos atendido desde Janeiro do ano em curso, até este momento, ronda perto de 40.000 (quarenta mil) famílias que já apoiamos, não só em alimentos, como também vestuário, quites de higiene e mais”.

Mota disse a nossa reportagem que a Cáritas, como igreja, atende todos os deslocados internos. Todavia, o maior destaque está nas crianças e mulheres que representam uma média de 75 por cento quando comparado com os homens.

Ele disse ainda que a organização que representa não recebe os deslocados internos, apenas actua depois de estes serem recebidos e registados pelas autoridades governamentais em coordenação com as outras organizações humanitárias internacionais.

Contudo, a Cáritas sendo um organismo humanitário, dependendo da sua disponibilidade em termos de recursos, manifesta o interesse de colaborar em certas actividades com o governo para a área de segurança alimentar que consiste na distribuição de alimentos, meios de vida [distribuição de instrumentos para a criação de actividades de geração de renda], saneamento do meio, abrigo, nutrição e mais.

Na componente de abrigo, o interlocutor refere que a Cáritas faz a distribuição do material para a construção de abrigos temporários, assim como cobertores, esteiras e kits de cozinha.

No centro de reassentamento de Mecurane, distrito de Chiúre, por exemplo, estão a ser construídas casas definitivas do Tipo 1, embora o doador chame isso de abrigo temporário, mas para os beneficiários serão definitivos. Os abrigos são feitos de material local e a cobertura de chapa de zinco de maior espessura.

Igualmente, “vamos construir mais um total de 265 (duzentas e sessenta e cinco) casas do Tipo 2 no centro de reassentamento de 3 de Fevereiro, em Mecúfi, nesta província de Cabo Delgado. .No sector de nutrição, Mota informou que “medimos o perímetro braquial para ver o nível de nutrição das crianças dos 0 aos cinco anos, e havendo petizes que precisam de um acompanhamento específico, encaminhamo-los para os serviços distritais da saúde, mulher e acção social para os tratamentos subsequentes”.

Para a assistência alimentar o director deu a conhecer que é privilegiado um kit composto por 25 quilogramas de farinha de milho e arroz, sete quilogramas de feijão, quatro litros de óleo de cozinha purificado e dois quilos de sal iodado para cada família. Para ele, a Cáritas considera família um grupo de cinco membros, e em casos de existir uma família que seja composta por 10 pessoas dá-se dois kits, para cobrir o período de trinta dias.

A fonte avança que a entrega de donativos é feita, em muitas vezes, através de depósito de produtos por via dos grandes estabelecimentos comercias instalados na cidade de Pemba e faz-se o levantamento nas zonas de destino. “Se nós queremos fazer uma acção humanitária em Mueda, por exemplo, não precisamos de sair de Pemba para Mueda, fazemos o depósito dos produtos que pretendemos dar e os padres que estão noutras regiões em coordenação com as Cáritas a nível das paróquias, levantam os produtos, fazem a distribuição e nos enviam os registos para efeitos de monitoria”, explicou.

Ao Ikweli, o director da Cáritas Diocesana de Pemba, na província de Cabo Delgado, garantiu que o braço humanitário da igreja Católica já dispõe de kits alimentares nos seus armazéns para atender cerca de 2.500 (duas mil e quinhentas) famílias pelo menos até o fim mês de Maio em curso. (Esmeraldo Boquisse)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here