Chaquir Bemat já não é treinador do Ferroviário de Nampula

0
398

Nampula (IKWELI) – A direcção do Clube Ferroviário de Nampula demitiu, na última segunda-feira (10), Chaquir Bemat, do comando técnico da equipa sénior masculina em futebol, cargo que vinha exercendo desde o ano passado, em consequência da onda de maus resultados que a colectividade vem registando na presente edição da maior prova futebolística moçambicana.

A informação sobre o despedimento de Chaquir Bemat do comando técnico do Ferroviário de Nampula foi conformada ao Ikweli pelo próprio treinador, entendendo que sai do clube com cabeça erguida.

“A informação de que fui despedido é verdadeira por isso, neste momento, não estou disponível porque estou a tratar do processo para o meu regresso (a Maputo)”, disse Chaquir Bemat, para quem enaltece a prontidão de alguns jornalistas desta parcela moçambicana na cobertura dos diferentes momentos vividos pela sua equipa. “Obrigado por sua colaboração, trabalhamos juntos”, disse Bemat sem muitas palavras.

Recorde-se que nas cinco jornadas do Moçambola deste ano, o Ferroviário de Nampula conseguiu, apenas, três dos 15 pontos possíveis, fruto de quatro derrotas e uma vitória, sendo que a última derrota deu-se no passado domingo (9) diante do Ferroviário da Beira por 1-2, a contar para a quinta ronda da prova.

Para além dos maus resultados, o modelo desenvolvido pelo mister Chaquir Bemat sempre foi contestado pelos amantes do futebol desta parcela moçambicana. Aliás, os resultados menos conseguidos foram associados pela forma como a equipa abortava as partidas, caracterizado por um futebol apoiado e em bloco, sem jogadas de profundidades.

“Para mim sinto que a equipa tem mais proveito com este modelo. Não podemos pegar os erros individuais, temos que olhar o próprio sistema do jogo. Temos que olhar situação da organização, se calhar defensiva, melhoramento em termos de aproveitamento de oportunidades e na criação das próprias oportunidades. Eu não acho que o modelo esteja a interferir, aliás, o modelo até cria um certo conforto aos próprios jogadores de poderem se adaptar rapidamente. Para um jogador da qualidade do futebol moçambicano fica um bocadinho difícil quando a gente bate sempre a bola para afrente, temos que disputar, não temos essa compleição física, então é muito mais fácil quando jogamos apoiados, procuramos as costas, mas de uma forma organizada”, recuperamos uma entrevista do passado mês de Fevereiro, por onde o Mister Chaquir Bemat defendeu o seu modelo de jogo como que tarde que fosse traria resultados promissores aos axinenes de Nampula.

“O futebol é um bocadinho irónico, porque se a gente estivesse a jogar nada e a ganhar estaria tudo bem, mas sem jogar nada algum momento iríamos perder porque não estávamos a construir, agora estamos a construir para que quando começarmos a ganhar só termos uma base para andar. Então o futebol é um bocadinho disto, é como se estivesse a pôr uma casa rapidamente porque queremos viver para depois ela cair não é possível, não estamos a dizer que estamos a perder propositadamente, não, nós estávamos a criar isto para conciliar as duas coisas, de princípio, não foi possível, mas não vamos desistir, vamos procurar de todas maneiras possíveis no nosso melhor para tentar aliar esta qualidade e o resultado”, disse Chaquir Bemat.

Entretanto, a direcção do clube ainda não se pronunciou a respeito deste assunto. Aliás, segundo fontes ligadas ao clube Ferroviário de Nampula, que preferiram falar ao anonimato, afirmam que o despedimento sem aviso prévio ao mister Chaquir pode ter sido por imperativo do novo Director Executivo da empresa Caminhos de Ferro de Moçambique (CFM), em Nampula, principal patrocinadora daquela agremiação.

Segundo apuramos, o novo Director executivo tem vindo a receber, no seu gabinete de trabalho, muitas queixas, por parte dos sócios do clube, sobre a gestão menos conseguida do conjunto dos axinenes de Nampula, que em parte afecta até o balneário.

“É uma decisão que colheu-me de surpresa. Se dependesse de mim, a equipa técnica devia merecer mais uma oportunidade tendo em conta que vem duma paragem da prova. Perdemos da maneira como perdemos e todo o mundo viu, a equipa esteve bem, mas, infelizmente perdemos, esta não seria o tempo ideal para despedir a equipa técnica”, disse uma das nossas fontes.

Com a saída de Chaquir Bemat, Artur Macassar (Turito), que foi treinador adjunto, poderá assumir o trono. (Constantino Henriques)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here